Dia das Crianças, Black Friday e Natal. Junte essas datas e o resultado é a perspectiva de abertura de 434,4 mil vagas temporárias em todo o país – a maior parte delas neste novembro, segundo dados da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) e da Caixa Econômica Federal.

Estima-se um crescimento de 10% no número de postos no último quadrimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado (394,9 mil vagas). A maior parte delas é impulsionada pela indústria, especialmente pelos segmentos farmacêutico, alimentar, químico e agroindustrial.

No varejo, a área de atendimento ao consumidor é a que tem mais demanda, com a contratação de vendedores, caixas e repositores, sinaliza o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo, Maurício Stainoff. “Disposição para o trabalho e facilidade de comunicação são muito importantes para essas vagas”, diz.

Quem pode concorrer

Não é preciso experiência na área para conquistar um trabalho temporário, ainda que a vivência na função conte pontos, de acordo com Cezar Antonio Tegon, fundador da Elancers, de sistema de gestão de recrutamento e seleção e do Vagas Online. Por lei, é vedada a discriminação por idade, mas é preciso ter em mente que alguns postos, como o de estoquista, podem demandar força física.


O Instituto de Longevidade oferece cursos de requalificação gratuitos para quem deseja se manter atualizado para o mercado de trabalho. Clique aqui e saiba mais.


Como concorrer     

O grande varejo costuma contar com uma área de cadastro de currículo no site – em geral, no link “trabalhe conosco”. Também recorre a plataformas de vagas e agências de recrutamento, como as associadas à Assertem, que fazem intermediação de mão em vagas temporárias.

“As lojas de menor porte se valem da oferta direta para os candidatos; neste caso, a ida até a loja e a entrega do currículo em mãos é fundamental, pois esses empresários têm na empatia uma forte influência na sua decisão para contratar”, diz Maurício.

 

 

Como elaborar o currículo

Segundo Cezar, o documento com as experiências acadêmicas e profissionais deve ser direto e objetivo. Mostrar resultados e diferencial do candidato em trabalhos anteriores, diz ele, é importante para chamar a atenção do recrutador.

 

Como se diferenciar na entrevista

Se for chamado para uma entrevista, o candidato “deve mostrar disposição”, que será exigida durante o período do contrato, afirma Cezar. Outra dica é pesquisar sobre a empresa. “Use a bagagem profissional para estudar qual é o problema e qual é a solução, e assim se diferenciar da concorrência mais jovem”, recomenda.

Chances de efetivação

“A vaga temporária é a melhor oportunidade que o candidato tem de mostrar sua capacidade de trabalho e produção; com isso, o empresário pode avaliar o candidato na prática”, sinaliza Maurício. Ou seja, dependendo do desempenho no período, as chances de permanecer na empresa são grandes.

O que diz a lei

A Lei nº 6.019/74, alterada em abril do ano passado, ampliou o prazo do contrato temporário de 90 para 180 dias, podendo ser prorrogado por mais até 90 dias.

O trabalhador tem os mesmos direitos de outro com contrato por prazo indeterminado, como remuneração equivalente, recebimento de horas extras, adicional por trabalho noturno, repouso semanal remunerado e férias proporcionais, 13º salário, FGTS e proteção previdenciária.

Segundo a Asserttem, o registro do temporário deve ser feito na página de "Anotações Gerais" da carteira de trabalho. O contrato deve ser feito por uma agência autorizada e registrada no Ministério do Trabalho.


Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: