Uma das maiores franquias do país, com 571 unidades em operação, o CNA anunciou a abertura, em fevereiro de 2019, de curso de idiomas para pessoas mais velhas. “Orientações pedagógicas específicas, maior carga horária, salas de aula com no máximo 12 alunos e horários mais adequados são os diferenciais”, segundo Marcelo Barros, diretor de educação da rede, que tem hoje mais de 400 mil alunos.

O curso de idiomas para pessoas mais velhas do CNA

O CNA Seniors traz cada estágio com um ano de duração (80 horas), o dobro dos demais cursos. Isso porque, tão importante quanto aprender um novo idioma, as atividades em sala de aula são também uma oportunidade de fazer novas amizades, numa fase da vida em que muitos se isolam. E esse ganho social afeta diretamente o bem-estar, contribuindo, inclusive, para o aumento da expectativa de vida.

Assim como o físico, o intelecto também precisa ser estimulado depois dos 60 anos de idade, para continuar funcionando com efetividade. E uma das maneiras eficazes para trabalhar o cérebro é aprender algo novo, como um segundo idioma. Foi justamente isso que motivou a aposentada Nair Ferreira Gama, 69 anos, a matricular-se, há exatos 18 meses, numa turma-piloto no CNA Tatuapé (zona leste de São Paulo).


Clique aqui e tenha acesso gratuito ao curso básico de inglês exclusivo oferecido pelo Instituto de Longevidade


“Com força de vontade e motivação, nunca é tarde para aprender”, diz ela, que já pensa até em acompanhar a neta de 15 anos em uma viagem aos Estados Unidos: “Me sinto mais segura”. Além disso, segundo ela, o curso de idiomas para pessoas mais velhas é uma forma de interagir com pessoas da mesma idade. “Vamos um na casa do outro”, conta. O grupo começou com oito alunos e hoje tem seis. “Mesmo assim, saímos sempre juntos.”

Para desenvolver um produto focado no envelhecimento saudável, o CNA foi estudar as características da aprendizagem após os 60 anos de idade, recorrendo à consultoria BCG (Boston Consulting Group). E aprofundou-se em estudos que mostram que aprender idiomas, além de retardar o desenvolvimento da demência em pessoas que têm mais propensão, aumenta a memória e a capacidade de atenção ao realizar tarefas simultâneas. “Meu raciocínio melhorou muito”, atesta Nair.

O curso de idiomas para pessoas mais velhas está com matrículas abertas em todo o país (clique aqui e saiba mais). “Esses alunos 60+ têm exatamente os mesmos recursos dos demais, incluindo o CNA 360, material didático exclusivo, com variedade de recursos tecnológicos de interação, conectividade e realidade aumentada, além de certificação da Universidade de Cambridge”, enumera o diretor de educação da rede.


Leia também

Felicidade depende mais de amigos do que da família, mostra estudo

Seniores vencem as barreiras da idade para intercâmbio no exterior

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: