Comportamento

Esqueça a expectativa de vida de 75 anos

Como você está lendo este artigo, posso afirmar que a expectativa de 75,7 anos de vida não é mais para você. Este número tem assombrado muitos corações e mentes imaginando ser a sua própria data-limite ou a de alguém querido.

Mas entenda que, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), vale para quem nasceu em 2016. Um número estatístico, que considera todas as causas de mortalidade, entre elas doenças na infância e na meia-idade, acidentes domésticos, de trânsito, violência. A lista é grande, mas garanto que passamos pelo pior.

Como você não tem mais zero ano de idade, sua atenção não deve ser a expectativa média de vida ao nascer _ e sim a tábua de mortalidade. Calma! O nome não é bonito, mas o que ela mostra é animador.

Por exemplo, para quem tem hoje 60 anos de idade, a expectativa média de vida é de 81,9 anos. Quem tem 70 anos, segundo as estatísticas, chegará fácil aos 84,3 anos. Quem tem 80 deve fazer planos para pelo menos mais dez anos.

Esses anos a mais de vida, com cada vez mais lucidez, independência, possibilidade de realizar planos e disposição para consumo de bens e serviços, é o que projeta a economia da longevidade como um dos mais importantes movimentos econômicos deste século.

Uma enorme gama de novos produtos e serviços têm surgido a cada dia. Cito um que traz grande qualidade de vida e liberdade ao sênior, o serviço de concierge. A Sênior Concierge, de São Paulo, e a Ohana Concierge, de Porto Alegre, oferecem serviços de organização do lar, orientação e pagamento de contas, acompanhamento em atividades externas, aulas de informática e outros serviços até então estritos à hotelaria.

Outra revolução acontece nas tecnologias de monitoramento e emergência, que permitem ao idoso permanecer mais tempo em sua residência: o “aging in place”. Nos próximos anos, chegará ao mercado uma solução made in Brasil, o LifeSenior, da Toth Tecnologia, um “wearable” (tecnologia vestível) que vai detectar quedas e alteração de sinais vitais. Ao monitorar a frequência cardíaca, a temperatura e a atividade da pessoa, fará uma predição de saúde e qualidade de vida que poderá antecipar e prevenir casos de mal súbito.

A indústria da construção civil e a hotelaria de longa permanência preparam lançamentos que parecem resorts de cinema, com uma estrutura de lazer e convívio social que deixaria qualquer pessoa com 40 ou 50 anos morrendo de inveja. A fonte da juventude que o explorador Ponce De Leon tanto procurava existe e está no estilo de vida potencializado por uma boa medicina.

“Segundo um estudo do Albert Einstein College of Medicine de Nova York, o limite de idade humano é de 122 anos”

O aumento da longevidade pegou todos de surpresa, obrigando muitos 60+ a revisitarem seus planos para o futuro e suas reservas financeiras e, principalmente, a buscar um propósito de vida para usufruir do bônus etário. A meta hoje é dar qualidade aos anos de vida.

Neste espaço, projetos como a plataforma Maturijobs, um caso que orgulha a SeniorLab e que se propõe a oferecer ao mercado de trabalho profissionais veteranos com uma carga de experiência e disposição de dar inveja a qualquer executivo com MBA e 30 anos de idade. Resignificar a experiência profissional e ajustá-la ao momento atual é racional e necessário para as empresas pararem de perder dinheiro e conhecimento.

Agora que você sabe que vai passar bonito pelos 75,7 anos, comece a planejar o que irá fazer com os anos que vai “ganhar”: seja otimista, tenha uma boa vida, tenha prazer, planos, amigos, cuide do amor, visite seus médicos, tenha um bom geriatra, faça exercícios e, se quiser, trace seus objetivos até onde a ciência afirma que podemos chegar. Segundo um estudo do Albert Einstein College of Medicine de Nova York, o limite de idade humano é de 122 anos. Pelo menos até agora.

50 anos, consultor, palestrante e fundador da SeniorLab Mercado e Consumo 60+. Criador do conceito Aging in Market, quer ajudar marcas, produtos e serviços a entenderem e atenderem o consumidor 60+.