Terminou neste domingo (28) o MaturiFest, primeiro festival de empreendedorismo 50+ do país. A realização foi da MaturiJobs em parceria com o Instituto de Longevidade.

Durante três dias, aproximadamente 900 pessoas de todas as idades participaram das palestras, workshops e rodas de conversa sobre temas como mudança de carreira, autoconhecimento e propósito, startups, comportamento digital, além de técnicas e dicas de como dominar ferramentas digitais e ter sucesso nas redes sociais. Para isso, o evento contou com um time de palestrantes de peso. Nomes como Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora; Marcelo Nakagawa, professor e colunista de inovação, startups e empreendedorismo; Cid Torquato, empreendedor e secretário municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo; e Lígia Costa, professora de habilidades socioemocionais foram alguns dos muitos que consagraram o evento como o maior festival de empreendedorismo 50+ do Brasil. Tudo isso, sob a baqueta do maestro Wellington Nogueira, palhaço, empreendedor e fundador da ONG Doutores da Alegria.

MaturiFest

O fundador da ONG Doutores da Alegria, Wellington Nogueira, na abertura do MaturiFest

“O evento foi sensacional, necessário e definitivamente com um tremendo gosto de quero mais, preciso de mais, porque essa consciência sobre maturidade está só começando e ainda tem muito espaço a ser conquistado”, declarou Wellington ao final do evento. Ele também elogiou a organização do festival. “A maneira como esse evento foi feito, organizado, pensado, ele tem carinho, preocupação, empatia e principalmente uma execução primorosa, estão todos de parabéns”.

Para Morris Litvak, fundador da MaturiJobs e idealizador do festival, o objetivo foi atingido. “Eu estou muito feliz, acho que superou as nossas expectativas. A gente teve um trabalho muito grande, não só de produção, mas de curadoria do evento. Sabíamos que o conteúdo ia ser bom, mas agora, ouvindo o que os participantes estão falando, a gente viu que realmente foi acertado e até melhor do que a gente imaginava”, avaliou Morris, que também elogiou a parceria com o Instituto de Longevidade. “A parceria com o Instituto fez com que a gente também conseguisse fazer uma coisa que já foi grande, mas que tem tudo para crescer mais. Eu realmente estou muito feliz”, pontuou.

MaturiFest

Morris Litvak e Henrique Noya, no encerramento do MaturiFest

O diretor-executivo do Instituto de Longevidade, Henrique Noya, também elogiou a parceria com a MaturiJobs e se mostrou bastante feliz com o resultado do evento. “Esse é o primeiro passo no caminho do empreendedorismo. A gente não vai parar nesse, quer dar muitos outros passos, para que a gente construa uma sociedade de empreendedores que, na última linha, vai ser bom não só para os 50+, mas para todo o Brasil”. Noya também citou a qualidade dos participantes como um dos destaques do evento. “A gente viu uma audiência qualificada, de pessoas que realmente estão aqui para entender de empreendedorismo, saber como se engajar nesse mundo de ‘abrir um negócio’, e é muito bom ver que elas estão tomando a preocupação de aprender, de planejar o primeiro passo antes de dá-lo, o que já é uma boa garantia de que o caminho será exitoso”.

A programação do MaturiFest

Dividida em três dias, a programação aconteceu em dois lugares distintos. Na sexta-feira (26), o espaço escolhido foi o InovaBra, na Consolação, e o público pôde participar de diversos workshops para geração de ideias inovadoras, por exemplo, como fazer um Pitch e buscar investimentos para sua startup, inteligência emocional para lidar com crenças e emoções e algumas dicas para atuar e ter destaque no mundo digital.

“Você abrir seu coração, explicar no vídeo quem você realmente é, ser você mesmo. São dicas preciosas porque um dia seu seguidor vai se aproximar de você e ver quem você realmente é. Se você criar um personagem, a decepção pode ser muito grande”, afirmou Tati Vadiletti, que ao lado do marido e sócio, Marco Iarussi, comandou o workshop “Luz, Câmara e Coração: aprenda a fazer vídeos com qualidade e conquiste seguidores altamente interessados no seu produto”.

MaturiFest

Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora

Nos dias seguintes, a programação aconteceu na Unibes Cultural, no Sumaré, onde foram realizadas palestras, painéis, rodas de conversa e uma feira com expositores. Após uma emocionante palestra de Wellington Nogueira sobre a revolução dos “maturi”, termo criado por Morris para designar pessoas com mais de 50 anos, a programação de sábado seguiu com os painéis “Dando sentido para a maturidade” e “Reinvenção 50+”.

“Somos mais da metade da população do planeta e mãe da outra metade, nós podemos muito”, garantiu Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora e uma das estrelas do primeiro painel. Mas alertou sobre a necessidade da união das pessoas. “A gente só muda o país quando a sociedade está organizada”, concluiu.

No domingo, o público novamente se reuniu na Unibes Cultural para assistir aos painéis “Entendendo o cenário do empreendedorismo 50+” e “Empreendendo na prática – dicas e caminhos”. Pela manhã, os participantes puderam tirar suas dúvidas e conhecer um pouco mais do trabalho do Instituto de Longevidade com a palestra do diretor-executivo do Instituto, Henrique Noya.

MaturiFest

Henrique Noya e Wellington Nogueira

“A gente sempre fala da mudança de demografia, e essa mudança exige que a gente continue se reinventando em todos os campos, inclusive na questão da relação com o trabalho. Às vezes, a gente passa a vida em alguma atividade, em alguma empresa como empregado e chega um momento, principalmente após os 50 anos, que dá uma vontade de empreender porque se tem um propósito. Eu acho que o papel do Instituto é estar atento a esse tipo de informação”, disse Noya.

Desafio do Empreendedorismo 50+

O Instituto de Longevidade aproveitou seu espaço no evento para realizar uma dinâmica com os participantes que buscavam empreender. Durante todo o sábado, as pessoas foram estimuladas a compartilhar ideias empreendedoras e buscar parceiros de negócios. Todos os interessados receberam uma mentoria de um especialista no local.

MaturiFest

Instituto de Longevidade realiza o Desafio do Empreendedorismo 50+

No domingo, os empreendedores puderam então apresentar seus projetos, mais bem estruturados após a mentoria, para os demais participantes e para um corpo de jurados que vai eleger os três melhores projetos. Os vencedores ganharão uma mentoria de três meses do Instituto de Longevidade.

Ao todo, 45 pessoas participaram do Desafio do Empreendedorismo 50+. Os nomes dos vencedores serão divulgados nos próximos dias no site do Instituto de Longevidade. Fique ligado!

Expositores fazem negócios no MaturiFest

O evento também contou com uma área de exposição com a presença de 14 startups de diversas áreas de atuação, desde alimentação a viagens para meditação e lazer.

A psicóloga Juliana Seidl, de 34 anos, foi uma das microempresárias que participou do evento em busca de novos clientes e novas parcerias. Há dois anos, Juliana montou a Aposentadoria Plena, uma consultoria especializada em preparação para aposentadoria e redução do preconceito etário.

MaturiFest

Expositores durante o último dia do MaturiFest

“A gente fala consultoria porque envolve o planejamento, a implementação e a avaliação de programas de educação para aposentadoria”, explica. Ela conta que a ideia surgiu quando ainda atendia em seu consultório de psicologia clínica. “Percebi que a aposentadoria é uma fase da vida que desperta nas pessoas sentimentos ambivalentes. Os baby boomers são pessoas que ficavam na carreira por muito tempo, por isso têm muita dificuldade de se reinventar”, disse.

A consultora Priscila Costa possui uma empresa de turismo com foco em viagens para Índia para visitar templos budistas e realizar cursos e workshops de meditação. O interesse em participar do MaturiFest veio quando Priscila identificou um grande número de turistas 50+ interessados nos pacotes.

 “São pessoas que sabem o que querem, que têm a experiência e a vivência necessárias para dar esse passo de forma muito consciente a caminho do autoconhecimento e da transformação interior”, conta a consultora.

MaturiFest na grande imprensa

O MaturiFest também ganhou destaque na grande imprensa, com a presença de grandes emissoras no local entrevistando participantes e os organizadores. O evento foi televisionado nos principais telejornais do país, como Jornal Nacional e SPTV 1ª Edição, da Rede Globo, e Jornal das 18H, da GloboNews.

MaturiFest

Antônio Leitão, gerente do Instituto de Longevidade, dá entrevista durante o MaturiFest

Para assistir às reportagens, clique nos links abaixo.

SPTV 1ª Edição

Negócio próprio pode ser a saída para os desempregados acima de 50 anos

Jornal das 18h - GloboNews

Festival em SP incentiva o empreendedorismo para maiores de 50 anos

Jornal Nacional

Profissionais com mais de 50 anos apostam no empreendedorismo

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: