Todo mundo sabe: se sentir solitário é desagradável. É um sentimento que machuca o coração. Uma série de estudos já comprovou que se sentir solitário faz mal à saúde.  Tão mal quanto tabagismo ou obesidade.

O assunto é tão sério que, em alguns países, já é considerado problema de saúde pública. No Reino Unido, foi criado o Ministério da Solidão. Trata-se de uma pasta do governo inteiramente dedicada a criar formas de combater o isolamento social existente por lá.

A iniciativa foi tomada pensando sobretudo nos britânicos mais velhos. É comum a ideia de que os idosos, com frequência, se sentem solitários. Uma pesquisa lançada em 2017 mostrou que a solidão é o principal medo dos idosos brasileiros.

No entanto, foi do próprio Reino Unido que veio um dos mais recentes estudos a respeito da solidão. Mais de 55 mil pessoas de todo o mundo foram envolvidas no BBC Loneliness Experiment (Estudo sobre a Solidão da BBC). E as descobertas foram surpreendentes: 40% dos participantes na idade entre 16 e 24 anos afirmaram se sentir solitários. Entre os maiores de 75 anos, 27% fizeram a mesma afirmação. Dados semelhantes foram encontrados por outras pesquisas recentes.

Normalmente, imaginamos a juventude como o momento da vida repleto de conexões, onde a vontade de descobrir o mundo facilita a criação de novas amizades.

Também, é a fase quando, proporcionalmente, é mais provável que os pais e os familiares ainda estejam vivos, nos emprestando o sentimento de pertencimento. O que, então, pode estar levando os jovens de todo o mundo a se sentirem tão solitários?

Antes de responder a essa pergunta, é preciso deixar claro que sentir-se solitário não é a mesma coisa que estar sozinho. Quando perguntados sobre o que significa “sentir-se solitário”, os participantes do estudo responderam que é “não ter com quem conversar” e “não ter quem realmente te compreenda”.

Muito se fala sobre o excesso de individualismo das novas gerações.  Mas o estudo traz dados que mostram que, entre os que se dizem solitários, não há falta de habilidades sociais, como empatia.

Por incrível que pareça, o que dados de outras pesquisas recentes sobre solidão mostram é que os jovens estão solitários por estarem excessivamente ocupados.  Ou seja: falta tempo para criar novos vínculos e amizades.

Nesse sentido, os mais velhos podem levar vantagem. Apesar de que, com o passar da idade, os laços sociais mudem e muitos dos antigos vínculos já não estejam presentes, a nova idade dos 60+ pode ser uma oportunidade para novos recomeços. É isso que nós, do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, acreditamos: é possível recomeçar em qualquer idade.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu email. Inscreva-se: