Geralmente encarado como opção de lazer ao ar livre, o ciclismo pode ser uma excelente alternativa para cuidar da saúde. Mais do que isso, ele tem o poder de "rejuvenescer" o sistema imunológico e frear os reflexos do envelhecimento.

A bicicleta é uma das grandes aliadas da saúde humana, segundo José Marcelo Natividade, endocrinologista e metabologista. “Pedalar melhora o condicionamento físico, ajuda a combater o estresse e previne doenças como hipertensão, colesterol alto e infarto, entre outras, principalmente entre pessoas que já estão na faixa etária acima dos 50 anos", diz ele.

Estudo publicado no periódico científico “Aging Cell” comprova os benefícios da prática. Pesquisadores acompanharam 125 ciclistas de 55 a 79 anos, todos amadores, comparando-os com adultos que não praticavam exercícios regularmente.

Os cientistas observaram que os adeptos ao ciclismo preservaram massa muscular e força, mantendo os níveis de gordura corporal e colesterol estáveis, mesmo com o envelhecimento. Entre os homens, o patamar de testosterona também se conservou elevado.


Clique aqui e conheça o programa de desconto em medicamentos do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon. É grátis!


Não bastasse isso, os ciclistas do estudo apresentaram níveis do sistema imunológico compatíveis com o de jovens saudáveis. Isso foi possível graças a uma glândula chamada timo, que geralmente começa a encolher a partir dos 20 anos, mas que manteve a produção de células de imunidade dos participantes, tanto quanto no grupo de menor idade.

Exercitar-se sempre

Giuliano Esperança, personal trainer e diretor executivo do Instituto de Bem-Estar, em Rio Claro (SP), lembra a importância de ter em mente uma questão inevitável: quem não pratica nenhum exercício acelera o processo de envelhecimento.

Segundo ele, dentre as várias possibilidades esportivas, o ciclismo se revela como uma excelente opção para manter e melhorar a saúde, tanto no que diz respeito aos aspectos de força para pernas como em benefícios cardiovasculares e melhora do sistema imunológico. "Ou seja: mais vida, menos doença", resume.

O endocrinologista José Marcelo pontua que o ciclismo, quando adotado na juventude, potencializa os benefícios para a saúde. "A probabilidade de o indivíduo sofrer infarto, AVC ou depressão, ser obeso ou hipertenso e ter diabetes ou gordura hepática, entre outros malefícios, se reduz drasticamente", afirma.

Músculos "jovens"

Boa parte da população mantém a força muscular até os 45 anos, segundo Giuliano. É da natureza humana haver uma perda de 5% a 10% de músculo a cada década. "Isso representa uma diferença muito significativa e perigosa", avisa.

Por exemplo, alguém que não pratica exercícios chegará aos 70 anos com 40% menos massa muscular que aos 20 anos. "É muita coisa e coloca em risco a saúde, simplesmente por tornar difíceis coisas simples da vida diária, como andar, além de aumentar riscos de quedas e fraturas e limitações advindas dessa condição", alerta o médico.

Benefícios do ciclismo

O bom do ciclismo é que se trata de um esporte "fácil". Como lembra José Marcelo, pode ser praticado por qualquer pessoa, desde que seja feita uma avaliação médica cardiovascular prévia, para afastar contraindicações na prática de exercícios aeróbicos. "Não oferece impacto e não trabalha apenas membros inferiores, já que os superiores são responsáveis pelo equilíbrio e direção do corpo", lista.

Em relação à frequência do exercício, o personal trainer Giuliano observa que se trata de demandas particulares. É possível, dentro de uma rotina ativa, incluir a bicicleta em atividades uma vez por semana ou ter o veículo como foco do treino.

"Se a opção for apenas a bike, três vezes por semana é o mínimo. Em relação à intensidade, deve ser respeitado um cronograma seguro e eficaz, começando com atividades leves, depois moderadas até chegar às mais fortes", sugere.

O ponto de atenção, segundo José Marcelo, é evitar exageros. "Pedalar é um esporte bem leve, que não necessita força e a inércia do próprio corpo o levará à frente. Com isso, o ciclista pode não perceber que a musculatura está sendo trabalhada, exceder o tempo de pedaladas e sofrer lesões e muitas dores depois", comenta.

Além de todas as orientações, é preciso ter mais uma em mente: aquecimento e alongamento são superimportantes antes do exercício, ok?


Leia também

Caminhar, trotar ou correr? Veja qual é o melhor caminho para sair do sedentarismo

Exercícios físicos e boa alimentação ajudam na saúde dos músculos



Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu email. Inscreva-se: