Quem bate o olho no Instagram da influenciadora digital Adriana Miranda, o @adrianammiranda, pode ficar descrente diante do seu perfil. Não por causa do título Musa Fitness  – seu corpo imexível (são 59 kg, 1,70 m e apenas 14% de gordura corporal) faz jus à reputação que a internet lhe trouxe. Mas é o complemento da apresentação que faz qualquer pessoa disparar um inevitável "uau!"

Hoje com 62 anos, já há um bom tempo Adriana é referência junto à turma que frequenta academias um dia sim, outro também. Não só entre eles, é claro! Seus seguidores somam mais de 720 mil pessoas, muitas das quais não têm uma vida tão regrada quanto a aposentada, que há 8 anos deixou a função de procuradora do Estado de São Paulo, após 31 anos de atuação. Estão ali interessados em acompanhar seus passos, porque se inspiram no estilo de vida e nas conquistas dela.

Mãe de dois filhos, de 35 e 33 anos, ambos do primeiro casamento, Adriana treina duas horas por dia, de segunda a sexta, ao lado do atual marido. A dedicação aos exercícios, porém, não é de hoje. Começou há mais de três décadas e vem se adaptando conforme os novos objetivos e idade.

Adriana Miranda Crédito: @adrianammiranda

Quem credita sua invejável boa forma à disciplina entre barras, pesos e halteres comete um erro, já que a alimentação da influenciadora é tão (ou mais) focada quanto sua rotina desportiva. Com acompanhamento de nutricionista, ela come de 3 em 3 horas, cortou vários itens do cardápio e só abre exceções para doces e álcool nos finais de semana, com bastante moderação.

"Acho a alimentação mais importante do que a atividade física. Eu diria que meus resultados se devem 70% à alimentação e os outros 30%, à atividade física. Se você não segue uma alimentação correta, se comer errado, pode se matar de fazer atividade e exercício o dia inteiro e mesmo assim não vai ter bons resultados", opina ela, que muito em breve lançará um livro contando toda sua trajetória e o caminho que tem inspirado muita gente.


Peso ideal muda depois dos 60 anos; calcule o seu


1 - Nunca é tarde para começar

Aos 30, 40, 50, 60 ou 70 anos, não importa! "É possível melhorar o estilo de vida, ter uma vida saudável, em qualquer idade. Sempre os resultados vão ser bons. É claro que, quanto mais cedo começar, melhor, porque mais cedo vai colher os frutos. Mas quem nunca fez nada e quer começar já na melhor idade, por volta de 50, 60 anos, deve começar, porque nunca é tarde", frisa.

Adriana Miranda Crédito: @adrianammiranda

2 - Arrume tempo. Sempre é possível!

Depois que se aposentou, Adriana consegue focar e se dedicar com mais disciplina aos treinos e à alimentação, mas nem sempre foi assim: "Mesmo na época em que trabalhava fora, tinha filhos pequenos e cuidava da casa, eu conseguia arrumar um horário para treinar. No início, me exercitava de noite, mesmo cansada. Depois eu passei a fazer no período da manhã, mas nunca deixei de me exercitar, mesmo quando tinha uma vida atribulada".

https://www.instagram.com/p/Bn9sJDhnZ57/?utm_source=ig_web_button_share_sheet

3 - Tenha disciplina e força de vontade

Para ela, a prática de atividades físicas e alimentação saudável devem existir em qualquer momento da vida. O que faz diferença, afirma, é ser disciplinado e manter-se fiel e dedicado, com bastante força de vontade.

Adriana Miranda Crédito: @adrianammiranda

4 - Foque na boa alimentação

No dia a dia, à mesa, a influenciadora não deixa faltar cereais integrais, proteínas, verduras, legumes, frutas e carboidratos. "Só o bom carboidrato, de baixo índice glicêmico e alto teor de fibras, como arroz integral, mandioca, batata-doce, quinoa", observa. Adriana controla a quantidade do que consome, pois acredita que, mesmo sendo bom, carboidrato em excesso pode fazer engordar. "Não deixo de comer porque é um nutriente essencial, que fornece energia para quem treina", diz.

5 - Faça adaptações no cardápio

No prato de Adriana não entram frituras, determinadas gorduras e farinha branca. Doces, que ela adora, só em ocasiões especiais ou um tiquinho no fim de semana, apenas para experimentar. Ela também cortou refrigerante e não consome carne vermelha, hábito que abriu mão há anos, por não gostar do sabor. "Na minha alimentação, 90% da proteína vem de peixe e 10%, de frango", conta. O lado bom de tudo, como ela lembra: a boa alimentação é barata e fácil de ser encontrada.

6 - Tenha um parceiro de treino

Adriana e o marido se exercitam juntos há anos – eles, inclusive, se conheceram em uma academia. "É muito bom você ter alguém para treinar porque um puxa o outro. Um dia ele está com preguiça, não quer levantar, eu insisto e ele acaba indo. Às vezes eu chego no treino e estou meio devagar, sem vontade de puxar muito peso, e ele vai lá e me estimula", comenta. Amigos também podem dar aquela força, mas se não tiver ninguém para companhia, dedique-se sozinho mesmo. "O principal é a força de vontade, é a disciplina. Se você quer, vai lá e consegue treinar sozinho. Ter alguém junto é melhor, mas não é obrigatório", frisa.

7 - Siga firme na musculação

Ela sempre fez musculação, exercício que considera excelente em qualquer fase da vida, mas, principalmente, a partir dos 60 anos. "É quando você mais necessita da musculação. Ela te dá independência, te deixa com mobilidade, faz você não depender de ninguém para levantar de uma cadeira, carregar uma sacola, levar uma mala", avalia. Depois dos 50 anos, seu treino já teve mudanças. "Nessa fase, a gente começa a ter menos força e mais dores nas articulações devido à idade. Hoje em dia, eu não levanto tanto peso quanto quando era mais jovem, mas talvez até tenha um treino mais intenso, no sentido de fazer mais repetições, mais séries e poucos intervalos", comenta.

Adriana Miranda Crédito: @adrianammiranda

LEIA TAMBÉM: Desvendamos 13 mitos da alimentação saudável

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: