Para responder a essa pergunta, primeiramente é preciso eliminar qualquer dúvida sobre como funciona o empréstimo consignado. Oferecido a pessoas que trabalham com carteira assinada, aposentados, pensionistas do INSS ou funcionários públicos, o empréstimo consignado é uma modalidade de crédito pessoal com taxas de juros bem abaixo das praticadas pelo mercado e prazos para pagamento mais longos. Por isso, é considerado uma das melhores opções para quem precisa de dinheiro com rapidez e segurança.

O valor das parcelas é descontado diretamente da folha de pagamento ou do benefício do INSS, o famoso “desconto em folha”. Porém, o que pode ser uma facilidade, também pode trazer problemas se não for tratado com muita consciência e uma boa administração financeira. Para evitar o superendividamento, a legislação brasileira criou, como fator limitante, a margem consignável.

O que é margem consignável?

Por comprometer automaticamente parte da renda do consumidor, ao ser descontado antes mesmo que o salário chegue em sua conta, o valor do empréstimo não pode ultrapassar 35% da renda mensal do usuário. Desses, 30% são para empréstimo e 5% para compras ou saque no cartão de crédito consignado.

Quando é indicado recorrer ao empréstimo consignado?

Especialista em previdência e investimentos da MAI Digital, Hirbis Girolli explica que consumidores podem recorrer ao empréstimo consignado em alguns casos emergenciais, como pagamento de dívidas com taxas mais altas, para a compra de um medicamento essencial ou algum reparo emergencial em casa, por exemplo. “Tudo aquilo que fuja ao seu planejamento mensal, desde que as dívidas não comprometam mais de 20% de sua renda bruta total”, pontua o especialista.


Notícias, matérias e entrevistas sobre tudo o que você precisa saber. Clique aqui e participe do grupo de Whatsapp do Instituto de Longevidade!


No caso de dívidas com cheque-especial ou rotativo do cartão de crédito, em que os juros são os maiores praticados no mercado, “o empréstimo consignado pode ser uma excelente saída, pois seus juros menores irão reduzir o valor final a ser pago”, avalia Girolli.

O empréstimo consignado também é indicado para quem está com restrição em seu CPF e pretende regularizá-lo. Diferentemente das outras modalidades de empréstimo, é possível contratar um empréstimo consignado com restrições no SPS ou Serasa.

Mas se o seu objetivo for pagar as despesas do dia-a-dia, Girolli é enfático: “evite pegar um empréstimo consignado. Para esses casos, o mais indicado é rever seus gastos mensais e planejar de forma mais eficaz o seu orçamento”, conclui.

Compartilhe com seus amigos