Com a justificativa de uma renda muito baixa, 67% dos consumidores que responderam em setembro uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) disseram que não economizam um único centavo do salário que recebem. Todas essas pessoas estão boicotando as finanças pessoais e comprometendo a própria longevidade financeira. Ou seja, colocam em risco a chance de estabelecer, no futuro, um determinado padrão de conforto material.

Mas o que as impede de economizar uma parte do ganho mensal? “De fato, a renda do brasileiro é baixa e isso dificulta na hora de poupar. Por outro lado, a maioria da população não possui educação financeira”, explica o economista Guilherme Seneguini. Segundo ele, ter o mínimo de instrução relacionada à economia ajuda a fazer escolhas inteligentes, entender taxas de juros antes de realizar uma compra e decidir se vale a pena adquirir um bem ou colocar o dinheiro em um banco para render.


Só quem participa do grupo de Whatsapp do Instituto de Longevidade recebe os melhores conteúdos informativos. Clique aqui e faça parte!


Mas nunca é tarde para começar a organizar as finanças pessoais e dar o primeiro passo em direção à construção de um patrimônio. "É importante ter longevidade financeira porque o futuro de todos nós é incerto. Ninguém sabe se estará empregado ou como estará a economia do país no futuro”, explica o especialista.

8 dicas para ajudá-lo a organizar suas finanças pessoais

Reduza os custos fixos altos

Sabe as contas que precisa pagar todos os meses? Corte as que for possível ou, ao menos, faça-as encolher. Acredite, elas deixam a pessoa refém. Ao diminuir esses gastos, duas coisas boas: 1) Sobrará algum dinheiro para guardar e investir. 2) Em caso de crise financeira, seus comprometimentos econômicos já serão baixos.

Vá devagar!

Para o ato de economizar se tornar um hábito, comece guardando pouco. À medida que perceber o dinheiro crescendo na aplicação, todo mundo se empolga e passa a poupar mais.

Planeje-se!

Comece a estabelecer metas de economia a curto prazo. Depois, de médio prazo e, finalmente, de longo prazo.

Tenha cuidado!

Quem ganha décimo terceiro salário e tem restituição do Imposto de Renda possui duas chances de guardar valores maiores, pelo menos, duas vezes ao ano. Mas muito cuidado com as tentações que surgem por causa do salário a mais.  O comércio está de olho no seu dinheiro e inventa todo tipo de promoção para fisgá-lo nesta época do ano.

Gaste menos do que ganha

Ultrapassar a barreira do cheque especial pode ser um caminho sem volta. Então, nada de colocar o pé para fora da linha. Quem começa o mês já devendo poderá ter sérios problemas no futuro.

Fature um extra

Se conseguir, estabeleça alguma forma de ganhar um dinheiro por fora do seu trabalho oficial. Essa verba pode ser completamente guardada no banco enquanto o salário fixo entra em cena como o abastecedor de recursos.

Fuja de dívidas

Evite empréstimos. Mas, se for impossível, pesquise muito bem antes de assumir essa dívida, fique de olho nos juros e batalhe para quitar o débito o mais rapidamente possível.

Informe-se!

Leia sobre longevidade financeira e maneiras de guardar dinheiro. Existem livros e sites com dicas preciosas nesse sentido.

Agora, faça o teste e descubra se o seu comportamento já indica que você se preocupa com a longevidade financeira ou se está boicotando suas finanças pessoais.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: