Falta pouco para a Black Friday e as lojas em todo o Brasil já começaram a disputar a atenção dos clientes com ofertas tentadoras nos mais variados produtos. Este ano, o dia tão aguardado pelo comércio e pelos consumidores será em 29/11, última sexta-feira de novembro, e promete bater um recorde em vendas, superando 2018.


Notícias, matérias e entrevistas sobre tudo o que você precisa saber. Clique aqui e participe do grupo de Whatsapp do Instituto de Longevidade!


Especialistas, no entanto, recomendam muita cautela antes de ir às compras. É importante proteger-se de propagandas enganosas e prestações que podem comprometer o orçamento doméstico, além de evitar gastos desnecessários.

Saiba como não se endividar na Black Friday

Planeje suas compras

"O primeiro passo é ter em mente os itens que você precisa comprar e quanto dispõe para gastar, para não exagerar nas compras e adquirir uma dívida que se tornará um problema futuro", comenta Haroldo Monteiro, especialista em varejo e coordenador do MBA Gestão Estratégica no Varejo no Ibmec/RJ. 

Pesquise antes de comprar

Monteiro também explica que o processo de compra deve começar com uma pesquisa, feita de preferência com bastante antecedência. "Vá anotando a variação de preços e pesquisando em vários sites”, explica. Assim, quando surgir uma promoção, você terá certeza se o produto está realmente mais barato ou não, e se a compra compensa. “Só compre se a oferta valer a pena", aconselha o coordenador.

Não compre apenas por comprar

Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, é categórico: “Não compre se precisar se endividar para isso”. Analise antes sua condição financeira e se a compra vai impactar negativamente no orçamento de sua família. Nem sempre vale a pena consumir algo só porque está barato.

Descubra o melhor dia para fazer suas compras

Às vezes, o dia da Black Friday nem sempre é o melhor para comprar, opina Gabriel Trindade, gerente comercial do Digital Commerce Group. As lojas online geralmente caem, o sistema fica lento, o consumidor fica com muitas dúvidas sobre o pedido e as confirmações demoram, pois o volume de compras é intenso. “Como as promoções já começam na noite de quinta e se alongam até segunda, não vá no impulso da sexta”, argumenta.

Black Friday

Crédito: Andrey_Popov / Shutterstock

Cuidado com as ofertas muito boas

Gabriel ressalta que nem sempre o preço mais baixo é a melhor oferta. “Muitas lojas derrubam o preço do produto, mas cobram um frete altíssimo para compensar”, explica. Portanto, considere como preço final apenas o valor do produto somado ao frete. Faça a conta e tome cuidado com a oferta mais chamativa da vitrine, porque ela pode pesar mais em seu bolso depois.

Veja se o site é confiável

Hoje em dia, é cada vez mais comum que empresas fantasmas usem sites atraentes para iludir clientes e aplicar golpes. Para evitar esse problema, procure descobrir se essa empresa realmente existe e se possui endereço físico ou telefone para contato caso ocorra algum problema na hora da compra ou no pós-venda.

Fique de olho nos seus direitos

O advogado Gilberto de Jesus Bento Junior orienta o consumidor a ficar atento e evitar ações abusivas por parte das empresas. “Hoje se observa um crescente número de reclamações”, comenta. 

O Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) permite, no artigo 49, que o consumidor se arrependa da compra que fez em até sete dias corridos. “Assim, sempre que você perceber que fez uma compra que não deveria ter feito, seja ela por qualquer motivo (não é necessário justificar), pode pedir o cancelamento sem qualquer custo.”

É importante documentar, ao menos por e-mail, e guardar esse pedido de desistência. Se ocorrer a cobrança, você terá direito à devolução do valor em dobro e uma indenização compensatória. “Devemos reivindicar mais qualidade, mais respeito ou ao menos a reparação e responsabilidade contra os abusos que sofremos”, afirma Gilberto.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: