“Depois da chegada, vem sempre a partida, porque não há nada sem separação”, disse Vinicius de Moraes em sua canção Sei Lá (A vida tem sempre razão), composta em 1971 em parceria com Toquinho.

“As despedidas fazem parte da vida e são importantes para encerrar velhos ciclos e abrir caminho para novos. A vida é um eterno recomeço, como diz o ditado”, explica a psicoterapeuta Monica Meira.

Especializada em atendimento familiar, ela lembra que esses ciclos se dão constantemente e em todos os aspectos da vida, do pessoal ao profissional.

“É preciso ter um entendimento claro de que isso é uma coisa saudável. Saber se retirar, pedir licença para sair de um ambiente quando chega o momento, de terminar um relacionamento que já não vai bem antes que o amor se transforme em rancor, de pedir demissão de um emprego que já não te faz feliz antes de adoecer”, acrescenta.

Seguro contra acidentes pessoais. Foto: Fizkes / Shutterstock

Para a especialista, o que importa é o que vem depois. “É como você lida com o objeto de despedida nos dias, meses e anos seguintes. É preciso manter acesa a chama do carinho, do respeito e do cuidado sempre”.

Ela conta que a primeira grande despedida se dá no momento que deixamos para trás o lar que nos abrigou e protegeu desde a infância e partimos em busca dos nossos próprios desafios.

“É neste momento que damos os primeiros passos na vida adulta. Mas isso não significa que precisamos romper os laços familiares. Até porque, futuramente, são eles [nossos pais] que vão precisar do nosso apoio e cuidado. É aí que muitas vezes chega o momento ou de voltar para a casa deles ou de levá-los para morar conosco”, destaca a psicoterapeuta.

E o cuidado pode se mostrar de várias formas, seja na hora de ajudar com as tarefas do dia a dia, garantir segurança para evitar acidentes ou até mesmo assegurar um apoio financeiro para quando mais precisar.

Autonomia diminui com o tempo

Com o avançar da idade, é sabido que os problemas de saúde começam a aparecer, trazendo limitações para a vida das pessoas.

A visão, embaçada e turva, já não permite mais desviar dos obstáculos com a mesma precisão de antes. As pernas e braços, já sem tanta força física, já não permitem o reflexo instantâneo em caso de desequilíbrio e de quedas.

Segundo a especialista, chega então o momento em que o olhar dos filhos precisa se voltar para os pais.

“Chega a hora de cuidar de quem cuidou de você a vida inteira, seja financeiramente com uma mesada para ajudar nos custos que a aposentadoria sozinha não consegue cobrir, seja levando para morar junto, contratando cuidadores ou até mesmo contando com a proteção de planos de saúde e de seguros de vida que possam garantir uma renda extra para ajudar nos cuidados especiais em casos de acidentes domésticos”, conta Monica.

Acidentes domésticos e o impacto na vida de pessoas idosas

De acordo com o relatório Global Health Estimates, divulgado no último dia 10 de dezembro pela Organização Mundial da Saúde (OMS), as quedas causaram a morte de 18,8 mil pessoas no Brasil entre os anos de 2000 e 2019, sendo 15,1 mil vítimas com mais de 60 anos.

Pessoas com idade igual ou superior a 70 anos foram as mais afetadas por mortes causadas por quedas. A estimativa soma quase 13 mil casos de pessoas nessa faixa etária tendo essa causa de morte. É o segundo tipo de acidente que mais mata. Ao todo, 74,2 mil pessoas morrem por ano no país vítimas de quedas. O número perde apenas para os acidentes de trânsito.


Seus pais protegeram você a vida toda, agora é hora de retribuir. Indique a eles o Master Acidentes Domiciliares, o seguro que garante proteção financeira necessária em casos de acidentes.


Estudos internacionais indicam ainda que 60% das quedas de idosos acontecem dentro de casa. Daí a importância de contar com um seguro contra acidentes domésticos que garanta a tranquilidade financeira do idoso e de seus familiares em casos de sinistros.

Dados do Ministério da Saúde também mostram que, cerca de 37% de todos os feridos atendidos em hospitais são vítimas de acidentes domésticos. Destes, 40% são por lesões graves e 30% chegam a óbito.

Mas o problema ficou ainda mais grave durante a pandemia causada pelo novo coronavírus. De acordo com um levantamento realizado pela OMS, o número de acidentes em casa durante esse período de isolamento social apresentou um aumento de 30%, sendo a maioria com pessoas acima de 65 anos de idade.

Seguro contra acidentes pessoais

De acordo com informações divulgadas no portal da Susep, acidentes pessoais são: 

“[...] eventos com data caracterizada que o segurado pode sofrer de forma súbita, violenta, involuntária, exclusivo e diretamente externo, que provoque lesões físicas, que, por si só e independente de toda e qualquer outra causa, tenha como consequência direta a morte, ou a invalidez permanente, total ou parcial, do segurado, ou que torne necessário tratamento médico”.

Para situações como essas, é importante contar com um seguro que promova, ao segurado e à sua família, a segurança necessária.

seguro contra acidentes pessoais

Criado em parceria entre o Instituo Longevidade Mongeral Aegon e a MAG Seguros, o Master Acidentes Domiciliares é mais que um simples seguro de vida contratado para cobrir acidentes – caseiros ou não –, com prêmios que podem chegar a 20 mil em casos de fraturas ou queimaduras, e gastos urgentes com ambulância e diárias hospitalares.

"É um investimento na proteção de quem você ama, pois as duas empresas acreditam que, mais importante que reembolsar em caso de acidentes, é evitar que eles aconteçam". garante o diretor-executivo do Instituto de Longevidade, Henrique Noya.

“Trata-se do primeiro seguro que garante a proteção financeira em caso de acidentes em casa, que é comprovadamente o local de maior incidência desse tipo de infortúnio”, explica o executivo.

Benefícios do Master Acidentes Domiciliares

  • COBERTURA MÉDICA

Receba até R$ 20.000,00 de indenização em caso de fratura óssea ou queimadura em decorrência de acidentes domésticos

  • INTERNAÇÃO HOSPITALAR

Receba até R$ 2.500,00 caso você precise se internar em um hospital para tratar consequências de acidentes.

  • REEMBOLSO

Reembolso de até R$ 500,00 para gastos com ambulância ou emergências hospitalares que sejam decorrentes de acidentes.

  • SEGURANÇA EM CASA

Assistência domiciliar com a instalação de equipamentos de segurança, como:

  1. Barras de apoio nos banheiros;
  2. Antiderrapantes nos tapetes;
  3. Revisão das instalações elétricas.
  • MORTE POR ACIDENTE

Proteção financeira para seus dependentes de até R$ 500,00 caso você venha a falecer por causa de um acidente.

Como contratar um seguro de vida para os seus pais?

O gerente de planejamento e operações do Instituto de Longevidade, Leonardo Caldeira, conta que uma pessoa não pode contratar um seguro em nome de outra. Segundo ele, trata-se de uma norma da Superintendência de Seguros Privados (Susep) para evitar golpes praticados por pessoas mal intencionadas.

"Um filho não pode contratar um seguro para os pais. Isso não quer dizer que todos os filhos e filhas estejam mal intencionados e de olho no prêmio do seguro. É apenas uma medida protetiva aos clientes, imposta pelo órgão regulador", destaca Caldeira.

"Mas na maioria das vezes, são os filhos que enxergam a necessidade de um seguro para proteger os entes queridos de acidentes domésticos, enquanto os pais continuam se achando imunes a tudo".

Para o gerente, o que os filhos podem fazer nesse momento é pesquisar opções de seguro existentes no mercado, cobertura, valor do prêmio e das mensalidades e apresentar aos pais, para que estes então possam optar por sua proteção.


Leia também

Master Acidentes Domiciliares é o primeiro seguro que garante proteção financeira em caso de acidente em casa

Quarentena: como ajudar os pais mesmo a distância

13 dicas para evitar acidentes domésticos nos cômodos mais perigosos da casa

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: