A pergunta como economizar dinheiro no dia a dia pode ter uma resposta simples: pare de gastar.

Mas quem consegue, de fato, fechar a carteira para toda e qualquer despesa?

Como veremos neste artigo, o segredo não está em suspender os gastos, mas em fazer uso mais inteligente do seu dinheiro.

Para concretizar suas metas e sonhos, alcançando um futuro de maior tranquilidade no bolso, recomendamos que siga a leitura.

A partir de agora, vamos mostrar como gastar certo pode mudar a sua vida.

Como economizar dinheiro no dia a dia

Se, ao olhar o extrato bancário, boletos e fatura do cartão, você tem a sensação de que deveria gastar menos do que tem feito, não se sinta frustrado.

O reconhecimento do problema significa o primeiro passo para a solução.

Com tantas contas, despesas e responsabilidades financeiras a cumprir, a grana pode ficar curta se não houver uma boa administração dos recursos.

Gastos desnecessários e indesejados têm um potencial altamente nocivo, podendo minar suas chances de ter uma vida próspera e com mais segurança e tranquilidade no bolso.

Para isso, há dois pontos que você precisa entender:

  1. Fazer economias é uma etapa inadiável da longevidade financeira
  2. Gastar menos é uma ação essencial para economizar.

Quer colocar isso em prática? Vale seguir o passo a passo que separamos para você:

1. Saiba para onde seu dinheiro vai

Pegue uma planilha (pode ser eletrônica, como no Excel ou Google Drive) e anote todos os seus ganhos e todas as suas despesas.

Não deixe nada de forma, ainda que considere o valor como irrisório.

Depois, classifique todos os gastos por categorias, como alimentação, moradia, transporte, saúde, etc.

2. Identifique os gastos a cortar

As categorias criadas vão ajudar você a identificar facilmente gastos que não são exatamente urgentes.

Ou seja, haverá aqueles que você pode cortar sem atingir alguma das necessidades básicas - suas e da família, se for o caso.

3. Estabeleça um plano de cortes

Será preciso fazer concessões, ou não há como economizar dinheiro no dia a dia.

Você pode ser fã de um determinado restaurante, por exemplo, mas se tem destinado boa parte do orçamento mensal a ele, significa que precisa encontrar uma alternativa mais barata para almoçar, como comer em casa.

Também aquelas despesas que você considerava pequenas, ao observar o todo na planilha, saltam aos olhos por seu impacto acumulado.

Tudo isso precisa ser considerado em um plano de cortes.

Tenha uma meta de economia, ajuste os gastos a ela e coloque em prática.

4. Mantenha o foco e a disciplina

Quando sabemos o real motivo de fazer a economia, tudo fica mais claro.

No entanto, para fazer um corte nas despesas, é preciso resistir às tentações de fugir da meta.

Assim, mantenha-se firme no propósito.

Por vezes, será preciso dizer não a algum convite - ou a si próprio.

5. Comemore suas conquistas

Seguindo no exemplo anterior, se conseguiu passar três dias seguidos almoçando em casa, isso merece ser comemorado.

Não importa o tamanho da conquista. Se houve economia, ela merece ser celebrada.

Mas cuidado para não confundir a recompensa com novos gastos.

Procure selecionar algo que gosta e se dê o direito de usufruir. Pode ser assistir aquele filme que estava esperando há tanto tempo, comer algo de sua preferência, dormir até mais tarde em algum dia e assim por diante.

Por que você precisa aprender a gastar?

Existe um estigma de que quem economiza o faz porque está sem dinheiro ou com as contas no vermelho. É a ideia de que aquele que gasta seu ganhos de forma controlada é “muquirana”.

Pode ser que, de fato, a pessoa que economiza esteja com sua vida financeira apertada. Mas, nem por isso, o devido controle das finanças pessoais se torna algo negativo.

Quem sabe gastar corretamente está dando o devido valor ao seu dinheiro. Desse modo, aprender a gastar da forma certa seus ganhos não é sinal de mesquinharia, mas de inteligência.

Analise a seguinte situação: existem duas lojas que vendem o mesmo modelo de aparelho smartphone. Faz sentido dizer que alguém compraria, em sã consciência, o mais caro? É claro que não.


Tenha acesso às melhores ofertas e produtos para você viver mais e melhor. Clique aqui e participe do nosso grupo de Whatsapp!


Às vezes, na nossa atarefada rotina, as comparações de preços não são tão evidentes assim.

Pode ser que os produtos ofertados sejam diferentes, que as promoções não sejam tão claras ou até que a gente nem saiba dos valores menores praticados pela concorrência.

Mas o papel de todo aquele que quer economizar dinheiro em seu dia a dia, fazendo um uso mais inteligente de seus recursos, é pesquisar e melhor utilizar os recursos que possui.

Veja, por exemplo, a afirmação de José Vignoli, educador financeiro do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC):

“Educação financeira não significa ‘não gastar’, é gastar conscientemente. Todos querem fazer as férias dos sonhos. Quanto custa isso? Será que eu poderia ir para outro lugar muito legal também, aproveitar bastante e gastar menos?”

Observe que, ao fazer escolhas inteligentes, você dá um importante passo rumo à longevidade financeira.

O que é longevidade financeira?

Que tal ter um patamar de vida confortável, comprando as coisas que você realmente quer e tendo reservas suficientes para imprevistos e investimentos?

Pode parecer um sonho, mas é a realidade de muitas pessoas.

Não se trata de mágica ou milagre, mas da aplicação de organização e inteligência nas finanças.

Essa, então, é a definição de longevidade financeira: quando alguém estipula um ótimo nível de vida, com clareza, e consegue mantê-lo.

Mas não é somente para o futuro, na aposentadoria. Nem apenas no hoje e no curto prazo.

A longevidade financeira cobre satisfatoriamente todos as fases da vida de uma pessoa.

Com organização e boas estratégias, é possível estruturar as finanças e fazê-las trabalhar para seu conforto.

Economizar dinheiro pode entrar, sim, como parte estratégica de seu plano financeiro, visando alcançar a longevidade.

Desse modo, se você quer aprender como gastar melhor seu dinheiro, com mais inteligência e mantendo o foco, veja as dicas a seguir.

Dicas para gastar melhor seu dinheiro

Durante a crise econômica, o brasileiro mudou seus hábitos de compra, segundo pesquisa do SPC e Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL).

Mas, mesmo assim, quase metade ainda não economiza com serviços de luz, água e telefone, por exemplo.

Por isso, vemos números tão alarmantes, como o apresentado por outro estudo do Serviço de Proteção ao Crédito. A pesquisa “Educação Financeira no Brasil” constatou que 54% dos entrevistados não conseguiu guardar qualquer quantia no mês anterior.

Ou seja, todo o salário e demais receitas recebidos por essas pessoas foram consumidos em despesas e dívidas.

O alto custo de vida justifica tantos gastos? Em parte, sim.

Mas não se pode deixar de considerar que muita gente ainda gasta mal o seu dinheiro, fazendo isso de maneira errada e descontrolada.

Uma prova vem de outro estudo do SPC e CNDL, revelando que 33% dos brasileiros afirmam nunca, ou apenas às vezes, avaliar se realmente precisam do produto ao comprá-lo.

São as tais compras por impulso, um equívoco que você precisa eliminar por completo se deseja aprender como economizar dinheiro no dia a dia.

No mesmo estudo, 45% dos entrevistados disseram que nunca, ou somente às vezes, conseguem resistir às promoções e comprar apenas aquilo que está planejado.

Ou seja, grande parte dos brasileiros ainda tem dificuldades em saber gastar seu dinheiro adequadamente.

Mudar essa realidade e gastar melhor passa, obrigatoriamente, pelas seguintes etapas:

1. Tenha seu orçamento na ponta do lápis

Como vimos, o primeiro passo para economizar dinheiro é ter tudo anotado.

Mas o que inclui esse “tudo”? Veja exemplos de receitas e despesas:

Salários, comissões e outros rendimentos

Contas fixas de água, energia, gás e internet

Gastos com escola e plano de saúde

Alimentação dentro e fora de casa

Transporte, combustível e manutenção

Lazer e cultura.

Quanto mais clareza você tiver sobre para onde seu dinheiro vai, maior será o seu controle sobre ele.

Assim, ao elaborar um orçamento completo, você conseguirá ver por onde os centavos têm escorrido. Dessa forma, será mais fácil criar estratégias para evitar gastos indesejados.

Além disso, ao saber como usar o seu dinheiro de modo mais inteligente, descobre onde não gastar e evita a compra por impulso.

2. Use a regra do custo R$100

Já parou para se perguntar quanto tempo leva para você ganhar R$100?

Se você for capaz de responder rapidamente, sua relação com o dinheiro pode mudar para melhor.

Afinal, isso gera um comparativo do preço que você está pagando por algo com o seu esforço para conseguir aquilo.

Como exemplo, considere uma pessoa cujo salário é de R$ 2.000 mensais líquidos, com 40 horas semanais de trabalho.

Assim, esse trabalhador recebe cerca de R$ 10 por hora.

Para ter R$ 100, então, serão necessárias 10 horas trabalhadas, o que equivale a um dia inteiro de serviço.

Na prática, se essa pessoa quer comprar uma calça que custa R$ 400, ela vai descobrir que só será possível depois de trabalhar quase uma semana.

Parece demais para seus padrões, concorda?

Saber quanto de nosso esforço é demandado para comprar um serviço ou produto nos dá uma nova dimensão do real valor do dinheiro usado.

3. Pesquise e pechinche

Seguindo as etapas anteriores, você já sabe exatamente quanto ganha, com o que pode gastar e o quanto realmente vale cada nova aquisição.

Portanto, para usar melhor seu dinheiro, não o entregue à primeira empresa que esteja oferecendo aquilo de que você precisa comprar.

Pesquise e compare preços, ofertas e formas de pagamento. Com um bom planejamento financeiro, será possível fazer isso com calma e nas melhores condições.

Além disso, não tenha medo nem vergonha de pedir descontos e negociar preços.

Empresas e vendedores já têm margens para isso e cabe a você conquistar o melhor custo-benefício.

Dê valor ao seu dinheiro e o gaste com inteligência ao fazer novas compras.

Seu bolso agradece e sua longevidade financeira ficará, a cada dia, mais próxima de se tornar real.

As próximas etapas: como ganhar mais, poupar e investir

Se você está buscando novas maneiras para economizar dinheiro, já está em um ótimo caminho. Como vimos, boa parcela dos brasileiros não consegue poupar porque gasta mal.

O primeiro passo rumo à longevidade financeira já foi dado e, assim, você descobriu que é possível gastar melhor o dinheiro.

Mas será que isso é suficiente?

Para alcançar um bom nível financeiro, também é preciso aumentar os ganhos, poupar de maneira correta e saber investir.

Fazer uma renda extra ou encontrar formas mais rentáveis de trabalhar é uma opção para equilibrar as contas.

Atualmente, não faltam opções para ganhar um dinheiro a mais, o que pode começar com um hobby e se tornar a ocupação principal.

Da mesma forma, construir uma poupança com destino certo é outra fonte de estabilidade financeira.

É um esforço que gera tranquilidade, sobretudo se algum imprevisto surgir, pois você estará pronto para responder a ele.

Por fim, aumentar e potencializar ganhos, através de investimentos, é uma ótima maneira de buscar a longevidade financeira.

Mas, para isso, é preciso ir além da caderneta de poupança e buscar opções de maior rentabilidade e mesma segurança.

Se você tem metas e sonhos, como toda pessoa tem, esses passos se tornam mais prazerosos, pois você conta com um motivo pelo qual lutar e se manter engajado com a saúde das finanças.

Conclusão

Falamos neste artigo sobre como economizar dinheiro no dia a dia.

A lição principal que fica não é no sentido de parar de gastar, mas de gastar melhor, fazendo uso mais inteligente do seu dinheiro.

Como vimos, planejamento e controle são suas principais armas nesse desafio.

Ao identificar suas receitas e despesas, você assume o protagonismo da vida financeira e se habilita a realizar sonhos.

Gastando melhor, também se aproxima da longevidade financeira.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: