A tabela do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vai sofrer um novo reajuste em 2020. De acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o valor da aposentaria pode ter uma correção no próximo ano, passando de R$ 5.839,45 para R$ 6.084,71.


Tenha acesso aos melhores conteúdos informativos. Clique aqui e faça parte do grupo de Whatsapp do Instituto de Longevidade!


O salário mínimo também deve aumentar, e passar de R$ 998 para R$ 1.040. No entanto, o próprio Governo já atualizou esse número e pretende diminuir R$ 1 da quantia antecipada, deixando o valor final do salário mínimo em R$ 1.039. Essa mudança é prevista pelo Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), que ainda está em trâmite no Legislativo.

O novo salário mínimo

Os reajustes da tabela do INSS e do salário mínimo correspondem à estimativa feita pelo Ministério da Economia para a inflação deste ano, tendo como base o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Dessa forma, não haverá um aumento real na quantia do salário mínimo em 2020, apenas uma adequação à inflação medida pelo INPC.

Só é considerado aumento de fato quando o novo valor estipulado ultrapassa o da inflação. Quando isso não acontece, pode-se dizer que o aumento do salário mínimo manteve o nível de antes.

Até abril deste ano, a inflação prevista era de 4,19%. Em agosto, com a PLOA, a revista da inflação passou para 4,02%. Essa redução na taxa acabou provocando a diminuição do salário mínimo previsto anteriormente para 2020, por isso o valor final passou de R$ 1.040 para R$ 1.039.

Tabela do INSS: a aposentadoria também muda 

Como a tabela do INSS tem como referência o valor do salário mínimo, todas as mudanças ocorridas neste também afetam os segurados. Nesse caso, se o aumento previsto for de 4,02% e não 4,19%, como indicado pela PLOA, o novo teto do INSS passará a ser de R$ 6.074,20, e não R$ 6.084,71, como anunciado previamente com base na previsão de inflação da LDO.

Os valores oficiais serão divulgados no fim do ano.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: