O piso das pensões, auxílios e aposentadorias do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) deve ser reajustado em 5,26% no ano de 2021. O reajuste do piso das aposentadorias do INSS segue o do salário mínimo. Conforme definido pelo Governo Federal em 30 de dezembro de 2020 o salário mínimo passou de R$ 1.045 para R$ 1.100 em 2021.

A alteração do salário mínimo teve como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de janeiro a novembro e a variação estimada do mercado financeiro para o índice em dezembro de 2020.

Porém, o valor real só deve ser definido depois que for realizada a divulgação da inflação oficial no ano de 2020 . A previsão é de que o número seja divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no dia 12 de janeiro.

Se confirmada a previsão, quem ganha acima do piso do INSS também deve ter o reajuste de 5,26%. Isso ocorre porque os benefícios acima do piso também são reajustados conforme o INPC.

Confira como será o reajuste das aposentadorias do INSS em 2021

Reajuste nas aposentadorias do INSS não deve ter ganho real em 2021

O reajuste conforme INPC significa que o salário mínimo e as aposentadorias do INSS serão reajustados conforme a inflação. Ou seja, não haverá ganho real e o aumento deve apenas possibilitar que o beneficiário mantenha o mesmo patamar de poder de compra atual.

Caso se confirme o valor de R$ 1.100 para o salário mínimo, ele será maior que o previsto inicialmente pelo Governo Federal. Em agosto, a expectativa era de revisar o mínimo em 2021 para R$ 1.067. Porém, com a alta da inflação ao longo do ano, a previsão foi revista.


Leia também

13º salário: governo estuda antecipar pagamento a aposentados e pensionistas do INSS

Divulgado calendário de pagamento do INSS em 2021

Fraude no consignado do INSS libera empréstimo sem solicitação

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: