A equipe econômica estuda algumas medidas de contingência para o caso de os números de infectados pela Covid-19 continuarem a subir muito em 2021 e um novo isolamento social mais severo seja necessário, afetando ainda mais a economia das famílias brasileiras. Uma das medidas apontadas é a antecipação do 13º salário para aposentados e pensionistas do INSS e do calendário do abono salarial.

Com isso, o governo federal espera garantir a tão esperada retomada da economia brasileira já no próximo ano. “Temos a capacidade de antecipar benefícios, diferir a arrecadação de impostos... já fizemos isso neste ano”, declarou o ministro da Economia, Paulo Guedes, na última sexta-feira (11) durante audiência no Congresso Federal.

Guedes se referia à antecipação do 13º salário a aposentados e pensionistas do INSS que aconteceu em abril deste ano como forma de prestar socorro às muitas famílias que dependem da renda de uma pessoa idosa para seu sustento.

O governo descarta a possibilidade de prorrogar o pagamento do auxílio emergencial, que já custou R$ 261,49 bilhões aos cofres públicos, para além de janeiro de 2021, mês em que será realizado o último pagamento pela Caixa. Com o término do pagamento do auxílio, 15 milhões de brasileiros podem retornar para a linha de pobreza.

Precisando do dinheiro rápido e seguro? Veja aqui por que o crédito consignado é a melhor opção para aposentados e pensionistas do INSS.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: