Cientistas da Universidade de San Francisco, na Califórnia, conseguiram reverter perda de memória relacionada à idade em camundongos idosos com o uso de uma droga experimental.

Publicado no jornal eLife Sciences, em 1º de dezembro, o estudo descreveu uma rápida restauração das habilidades cognitivas nos animais idosos que receberam a droga, seguida de um rejuvenescimento do cérebro e das células imunológicas. Os cientistas acreditam que as perdas cognitivas que acontecem com a idade possam não representar uma degradação permanente e que sua causa esteja ligada a um bloqueio fisiológico reversível.


Assegurar a autonomia dos pais pode ser um grande desafio para os filhos. Veja dicas na matéria que preparamos para que sua tentativa de cuidado não vire prejuízo!


Funciona da seguinte maneira: envelhecido, o cérebro bloqueia recursos cognitivos por um possível ciclo vicioso de estresse celular. Segundo Peter Walter, coordenador do estudo, os cientistas encontraram uma maneira de quebrar esse ciclo e restaurar as habilidades do cérebro bloqueadas pela idade.

A ISRIB, droga utilizada no estudo, já é uma velha conhecida dos cientistas por sua capacidade de, entre outras coisas, reverter deficiências cognitivas em pessoas com Síndrome de Down, tratar o câncer de próstata, prevenir perdas auditivas relacionadas ao ruído e restaurar a memória de pacientes que sofreram traumatismo cranioencefálico (TCE) recente devido a uma agressão, por aceleração ou desaceleração de alta intensidade do cérebro no crânio.

Os cientistas também descobriram que a ISRIB é capaz de causar alterações nas células T do sistema imunológico, ou linfócitos T, o que indica que o tratamento pode ser usado na cura de pacientes com Alzheimer e diabetes, problemas associados ao aumento da inflamação causada pelo envelhecimento do sistema imunológico.

Leia também

Médico lista cuidados necessários para quem tem em casa pacientes com Alzheimer

Envelhecimento da população: cresce número de familiares que cuidam de idosos no país

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: