A China anunciou nesta terça-feira (17) que desenvolveu “com êxito” uma vacina contra o novo coronavírus. De acordo com a imprensa internacional, a primeira fase dos testes de segurança em humanos também foi liberada pelo Ministério da Defesa chinês e deve começar ainda esta semana.

A potencial vacina foi desenvolvida por cientistas da Academia de Ciências Médicas Militares da China, que está ligada ao exército daquele país. Segundo informações liberadas pelo governo chinês, sua elaboração respeitou “as exigências internacionais e os regulamentos locais”. As autoridades também afirmaram que é possível garantir uma produção em grande escala e com segurança.

Uma possível vacina contra o coronavírus nos Estados Unidos

Os Estados Unidos também avançam na corrida para desenvolver uma forma de imunização contra o coronavírus. Na última segunda-feira (16), cientistas norte-americanos realizaram o primeiro teste de uma possível vacina em humanos.

De acordo com um comunicado emitido pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH), voluntários de Seattle, um dos estados mais afetados pelo vírus, começaram a ser imunizados. No total, 45 voluntários farão parte do estudo, todos adultos e saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos. 

Coronavírus: cadastre o seu e-mail e receba notícias

Tenha as últimas notícias sobre as medidas de contenção e prevenção, número de casos, tratamento e muito mais. Juntos, podemos virar este jogo! Cadastre-se agora.

Livro

A previsão é que esses testes durem ao menos seis semanas. No entanto, o processo de criação da vacina pode durar de um ano a 18 meses, segundo a agência France Presse. Isso porque é possível que mais testes sejam necessários. Neste momento, os pesquisadores buscam entender o impacto de diferentes doses administradas por injeção e quais são os seus efeitos colaterais.

Esta pesquisa está sendo desenvolvida por cientistas e colaboradores do NIH em parceria com a empresa de biotecnologia Moderna, em Massachusetts (EUA), e com a Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI), com sede em Oslo (Noruega).


Cadastre-se aqui para receber notícias e informações atualizadas sobre coronavírus no seu e-mail todos os dias.


Leia também

Entenda por que as pessoas com diabetes são mais vulneráveis ao coronavírus

Veja dicas para fortalecer o sistema imunológico e prevenir o coronavírus


Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: