Muito se fala sobre as principais formas de prevenção ao novo coronavírus, como evitar multidões e lavar bem as mãos. Além desses métodos, algo que também não deve ser esquecido é o cuidado com o nosso sistema imunológico. 

Ele atua como um mecanismo de proteção do organismo e evita ataques de vírus e bactérias, não permitindo que infecções se transformem em doenças graves


Notícias, matérias e entrevistas sobre tudo o que você precisa saber. Clique aqui e participe do grupo de Whatsapp do Instituto de Longevidade!


De acordo com a médica alergista Patrícia Yoshino, um sistema imunológico enfraquecido pode abrir as portas para o coronavírus. “E não só para o coronavírus, mas para qualquer outra infecção viral ou bacteriana”, explica. 

Dessa forma, um organismo imunologicamente fortalecido funciona como uma barreira, impedindo a ação de agentes prejudiciais à nossa saúde. 


Coronavírus: cadastre o seu e-mail e receba notícias

Tenha as últimas notícias sobre as medidas de contenção e prevenção, número de casos, tratamento e muito mais. Juntos, podemos virar este jogo! Cadastre-se agora.

Livro


Como fortalecer o sistema imunológico

Para Patrícia, existem três pontos de atenção quando pensamos em fortalecer o nosso sistema imunológico: descanso, exercício físico e uma boa alimentação. Essa tríade é responsável por manter a nossa saúde em dia.

Descanso

Uma noite mal dormida já pode prejudicar a imunidade de qualquer indivíduo. Por isso, o recomendado é manter um regime de sono regular, tendo cuidado com a quantidade de horas necessárias para que o corpo se recupere. Também é importante ter atenção à qualidade do sono.

Exercício físico

As atividades físicas promovem o aumento de linfócitos, células que fazem parte da defesa imediata do corpo e que têm como função destruir células cancerígenas ou infecções virais.

Outro ponto positivo dos exercícios físicos é a redução de estresse, fortalecendo o organismo e deixando-o menos suscetível a diversas doenças. O estresse pode liberar hormônios como o cortisol que, em desequilíbrio, interfere na qualidade do sono.

Boa alimentação

Patrícia afirma que própolis, frutas, legumes e muita água são essenciais para qualquer um que deseja ter uma alimentação saudável e também para prevenir doenças infecciosas. “E, se ficar doente, investir em alimentos naturais e cozidos”, explica.

Veja abaixo como uma boa alimentação pode fortalecer o sistema imunológico.

Hidratação

Uma hidratação inadequada pode provocar o ressecamento das mucosas (tipo de tecido que reveste internamente as cavidades do corpo, mas que possui contato com o meio externo), tornando-as vulneráveis a infecções. A falta de água no organismo também pode estimular a inflamação, sobrecarregar o coração e os rins, comprometer as funções cognitivas do cérebro e causar fadiga e desmaios.

Própolis

O própolis contém proteínas e compostos capazes de regular o sistema imunológico, como flavonoides, ácidos fenólicos, terpenos, vitaminas e minerais. Além disso, esse alimento também atua como antibacteriano e antiviral, pois incentiva a destruição de elementos estranhos e incentiva a produção de células de defesa no organismo.

Frutas

Frutas cítricas, como limão, laranja, abacaxi, acerola e kiwi, são alimentos ricos em vitamina C, poderoso antioxidante que ajuda no combate aos radicais livres e, por isso, reduz o risco de doenças. O limão, em especial, é um excelente aliado do sistema imunológico, pois, além da vitamina C, também possui as vitaminas A, B1, B2, B3, B6, B9 e E, sais minerais e compostos bioativos.

Legumes e verduras

Os vegetais escuros têm um papel importante na manutenção do sistema imunológico, pois são ricos em ácido fólico. Esse nutriente auxilia na formação de glóbulos brancos, que são responsáveis pela defesa do organismo. Alguns exemplos de vegetais escuros são: brócolis, couve, rúcula e espinafre.

Outros alimentos

Outros alimentos que não podem faltar o prato de quem busca melhorar a imunidade são: aveia, gengibre, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha e grão de bico), linhaça, mel, oleaginosas (castanhas, amêndoas e nozes) e pimenta. Para quem não é vegetariano ou vegano, carne e salmão também são importantes para a dieta.


Cadastre-se aqui para receber notícias e informações atualizadas sobre coronavírus no seu e-mail todos os dias.


Leia também

Coronavírus, gripe e resfriado: quais sintomas diferenciam as três doenças?

Proteja-se do coronavírus e das informações falsas: veja mitos e verdades sobre a doença

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: