A onda de calor que atinge várias regiões do Brasil nos últimos dias acende um alerta para os idosos. As altas temperaturas podem provocar sintomas que atingem a todos, mas são ainda mais graves em quem já passou dos 60 anos. São alterações físicas e até neurológicas que podem, inclusive, provocar acidentes em casa, como as quedas.

Os sintomas vão desde fadiga a tontura, visão embaçada e desidratação. Em casos graves de hipertermia – quando a temperatura corporal passa de 37,4°C – pode ocorrer queda da pressão arterial, desmaios, confusão mental, convulsão e até mesmo coma.

Para evitar o agravamento da condição, deve-se buscar resfriar o corpo. Dentre as estratégias que podem ser adotadas estão: imergir a pessoa em água morna ou fria, remover roupas ou usar equipamentos como ventiladores e aparelhos de ar condicionado para baixar a temperatura ambiente. Também é recomendado buscar atendimento médico.

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), com o avançar da idade, o corpo humano pode reduzir sua capacidade de regular sua temperatura. Além disso, doenças previamente existentes e medicamentos usados para tratá-las também interferem nessa regulação. São citadas como enfermidades que podem agravar essa condição insuficiência cardíaca congestiva, diabetes, enfisema, asma e demências.

Cuidados para prevenir a hipertermia em idosos

Nesse período em que o país sofre com a onda de calor, os idosos devem ter cuidado com uma prática que, em condições normais de temperatura, pode ser muito benéfica: o banho de sol para produção de vitamina D. O ideal é evitar a exposição solar entre 10h e 16h.

Além disso, é preciso lembrar que a pele dos idosos é mais sensível. Portanto, além do filtro solar, recomenda-se o uso de roupas que protejam toda a superfície do corpo.

Confira outras boas práticas para prevenir a hipertermia em idosos:

  • Aumentar a ingestão de água
  • Usar roupas leves e confortáveis
  • Evitar a exposição ao sol, em especial entre 10h e 16h
  • Usar bonés ou chapéus
  • Usar filtro solar
  • Não ingerir cafeína ou álcool
  • Ter uma alimentação balanceada, rica em nutrientes
Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: