O novo coronavírus transformou repentinamente a casa de muita gente em escritório ou sala de aula. Sem espaços adequados, cama, sofá, poltronas e até mesmo o chão viraram estações de trabalho ou estudo. Mas o efeito colateral do home office e do homeschooling já aparece nos consultórios médicos: a dor nas costas. 

“Houve um aumento significativo de queixas nestes últimos meses”, atesta Carlos Eduardo Benedetti Pires, ortopedista do dr.consulta, rede de 45 centros médicos que oferece atendimento a preços acessíveis. Aliás, observa, “dor nas costas é e sempre foi uma das reclamações mais comuns nos consultórios ortopédicos”. 

Não à toa, estudos no Brasil revelam que 8 em cada 10 pessoas já sentiram algum tipo de dor nas costas. Porém, segundo o especialista, “este número pode estar subestimado, pois apenas 60% das pessoas que sentem ou já sentiram este tipo de dor procuram o médico ou tratamento”. 

O fato é que é muito comum se machucar em casa, ainda mais neste momento de isolamento social onde estamos mais expostos aos riscos do lar e sem o suporte necessário para o home office. Pensando nessas situações, a Mag Seguros criou o Master Acidentes Domiciliares, um seguro de vida que também oferece serviços e assistência para prevenir imprevistos domésticos. 

As causas mais comuns das dores incluem o sedentarismo, o sobrepeso/obesidade e a má postura – em casa, na escola, no trabalho e até mesmo no uso de smartphones e laptops. Algumas pesquisas mostram que o tabagismo pode aumentar o risco de as pessoas sentirem dor nas costas devido à alteração na oxigenação dos tecidos do corpo, incluindo os músculos. 

Ergonomia contra dor nas costas 

A falta de ergonomia no ambiente de trabalho pode ser considerada um dos fatores principais para as pessoas sentirem dor nas costas. “Má postura, como estudar ou trabalhar com cadeira sem apoio para toda coluna; manter-se a uma distância incorreta do laptop ou computador e não permanecer com os joelhos dobrados em 90° e os pés apoiados completamente no chão contribuem para a prevalência deste tipo de dor”, diz o especialista do dr.consulta.


 O seguro de acidentes pessoais serve para os momentos em que você menos espera e mais precisa de apoio financeiro. Clique aqui e conheça a proposta da MAG Seguros.  


Sentar no sofá com o computador no colo, por exemplo, pode gerar uma flexão excessiva do pescoço e até a redução da circulação de sangue nas pernas. "Esses locais não foram projetados para acomodar o corpo humano durante horas na mesma posição, implicando em sobrecarga tanto na coluna como nos braços e nas pernas", explica o ortopedista Carlos Eduardo Miers, da Paraná Clínicas. 

A repetição diária desse comportamento pode gerar problemas osteomusculares mais importantes, como desvios de coluna, inflamações ou lesões articulares. Para evitar complicações, uma cadeira adequada é essencial. "Deve ter altura regulável para permitir que os joelhos não fiquem dobrados acima de 90 graus, e os cotovelos permaneçam apoiados nos suportes laterais e nivelados com a mesa. O apoio para as costas também é importante", ensina. 

A iluminação e o mobiliário certos proporcionam conforto, segurança e tranquilidade. Essa combinação tende a levar a fazer mais atividades em um menor período de tempo – sem falar na qualidade da execução. Ergonomia impacta também nas taxas de absenteísmo, que influenciam diretamente na produtividade. 

Tratamento para dor nas costas 

Entender a origem é o primeiro passo para se livrar da dor nas costas e começar o tratamento. “Muitas vezes, os pacientes, na consulta, não sabem referir como ou quando elas iniciaram. Porém, com uma investigação, o médico geralmente consegue determinar a origem e a causa”, afirma Pires. 

Isso porque a dor na região lombar ou no final das costas é considerada um sintoma e não uma doença. “A maioria das pessoas acha que dor nas costas é sempre um problema ortopédico. Existem vários fatores que podem causas dor nas costas, incluindo doenças no ramo da reumatologia, ginecologia, urologia, entre outras”, adverte.  

Na maioria dos casos, as dores melhoram apenas com medicação, repouso e orientação sobre postura e estilo de vida. “Porém, hoje em dia, observa-se uma grande parte dos pacientes apresentando dores mais intensas ou outros sintomas associados a esta dor, ocasionando outras doenças, dentre elas a hérnia de disco.” 

A dor nas costas é mais comum em adultos do que em crianças e adolescentes, muito devido ao estilo de vida das pessoas nesta fase de vida. Por isso, “manter-se com um peso adequado, praticar atividades físicas regulares e evitar fumar ajudam – e muito – a pessoa a não sentir dor nas costas”, finaliza o ortopedista do dr.consulta.  

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: