Parece incoerente, mas alguns cuidados com a casa podem afetar a saúde dos moradores. Aliás, é bastante provável que quem repita tais práticas nem desconfie que a limpeza, em algum momento, coloque o organismo em risco.

A boa notícia é que, apesar de serem situações que chegam a comprometer a qualidade de vida, podem ser minimizadas com ajustes no dia a dia, como mostram os especialistas consultados pelo portal do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon.

A seguir, listamos algumas práticas que costumam ser nocivas e a maneira mais "saudável" de adotar tais cuidados com a casa.

Produtos caseiros

Combinar água sanitária com algum tipo de ácido ou misturá-la com amônia para limpeza da casa, por exemplo, é um tanto arriscado, segundo o biomédico Roberto Martins Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria. "Isso provoca a liberação de gás cloro, que é altamente tóxico", diz. A sugestão do especialista é usar um produto por vez, cada qual com sua finalidade, sem fazer qualquer mistura.

Cama arrumada

Você é da turma que arruma a cama assim que acorda? Então melhor rever isso. O biomédico explica que cada indivíduo perde de 1 a 2 litros de água por dia – grande parte durante a noite, na cama. Estender o lençol e a colcha logo pela manhã significa deixar a área mais abafada e, consequentemente, perfeita para o desenvolvimento de ácaros, que causam asma, rinite, dermatite de contato, entre outros problemas.

Umidificador constante

Recorrer a umidificadores para melhorar a secura do ambiente é um dos cuidados com a casa mais comuns. Só que, quando utilizado além da conta, torna-se prejudicial. "Deve ser usado por curto período (por volta de 1 a 2 horas), quando o tempo está muito seco. Se deixarmos o umidificador ligado a noite inteira, vai acumular gotículas de água na parede e formar mofos", avisa Fausto Nakandakari, otorrinolaringologista do Hospital Sírio Libanês.

cuidados com a casa

Crédito: Bokeh Stock/Shutterstock 

Roupas sem lavar

Há quem tenha o hábito de lavar todas as roupas de temporada (sobretudo as de inverno) antes de guardá-las e, quando a estação fria volta, só as tira do armário, diretamente para o corpo. É um erro, segundo o otorrinolaringologista. O correto é lavar antes de retomar o uso também, eliminando a possível presença de ácaros, traças e mesmo fungos.

Uso de inseticidas

Os cuidados com a casa, invariavelmente, incluem afastar qualquer tipo de inseto inconveniente. Geralmente isso é feito com ajuda de inseticidas que, de acordo com Dr. Bactéria, têm um grau de toxicidade capaz de afetar as vias aéreas. "A maioria deles é à base de um grupo chamado piretróide, bastante tóxico e irritativo", comenta.

Para afastar os insetos indesejados, o médico recomenda adotar combinação de álcool (1 litro) e um pacotinho de cravos. "Deixe a mistura em uma vasilha por uma semana, mexendo de vez em quando. Depois, embeba um pano de chão e passe a mistura no chão. Não é tóxico e muito eficiente", garante o biomédico. Saquinhos de cravos dentro de gavetas também espantam baratas e formigas.

Colchão e travesseiro ao sol

Outro cuidado que as pessoas adotam, imaginando estarem agindo de forma correta, é colocar colchões e travesseiros para tomar um solzinho. Entretanto, o biomédico explica que, se a intenção é matar bactérias e outros microcorpos, o contato com os raios ultravioletas será apenas superficial. "Ocorre apenas um aquecimento, o que acaba facilitando a alimentação dos ácaros", diz. Ele recomenda o uso de protetores que fecham com zíper, que sejam impermeáveis por dentro e de algodão por fora. Assim, evitam a passagem de suor ou qualquer coisa que umedeça e propicie a proliferação de bactérias.

Espanador para limpar

Para a limpeza ser eficaz, a poeira deve ser removida, não espalhada. "O uso de espanador e de alguns aspiradores podem apenas mudar o lugar da poeira – diretamente, como faz o espanador, ou de forma indireta, sendo sugada e devolvida pelo próprio motor do aspirador sem filtro", alerta Regina L. B. Matielo, infectologista infantil do Hospital Sepaco.

Para resolver o problema, recomenda-se usar pano úmido e, na sequência, pano seco, evitando a umidade desnecessária. Melhor ainda é adotar aspiradores com filtros potentes ou que tenham sistema para jogar a poeira dentro de um dispositivo com água.

Retirada de lixo

Há quem mantenha lixos com tampas para alocar o descarte até o dia da coleta pública. O infectologista André Neves Alves esclarece ser necessário retirar o lixo diariamente e, até que não seja recolhido, deve ser mantido em sacos bem fechados e em local arejado.

Toalhas penduradas

Como as bactérias se proliferam na umidade, também está proibido deixar toalhas de banho e tapetes molhados no banheiro. O mesmo vale para panos de prato e guardanapos na cozinha. Segundo o infectologista, devem ser pendurados em locais arejados ou ao sol, para que sequem logo.

Cuidados com a casa ajudam a saúde mental

Manter uma casa arrumada e limpa não é só questão de higiene e garantia de saúde para o organismo. É, também, benefício para a saúde mental. "Significa satisfação pessoal e diminuição do estresse", afirma Regina Matielo. Para a infectologista, ambientes aconchegantes, arrumados e sem acúmulo de peças inúteis ou quebradas diminuem a poluição visual, facilitam a movimentação e o encontro do que é necessário, o que traz mais conforto e segurança. "Certamente essas características também contribuem para diminuir o estresse do dia a dia e colaboram para a saúde", finaliza.


Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: