Há quem diga que o ano só começa mesmo depois do carnaval. Mas se você se preocupa com o seu corpo e quer cair na folia com saúde e segurança, o ideal é realizar alguns exames de rotina logo nos primeiros meses do ano. Principalmente se você tem mais de 50 anos. A recomendação é o especialista em medicina preventiva e diretor-médico da Med-Rio CheckUp, Gilberto Ururahy.

Ele conta que, a partir dos 30 anos, a maior parte das mulheres e dos homens entra num ciclo de vida diferente dos anteriores. É quando surgem sinais de desgaste e degeneração no organismo que, embora nem sempre perceptíveis, costumam ser agravados pelo estresse resultante das complexidades deste ciclo de vida.


Tenha acesso aos melhores conteúdos informativos. Clique aqui e faça parte do grupo de Whatsapp do Instituto de Longevidade!


“A partir dessa época, o checkup anual passa a ser fundamental, pois, por meio dos exames de imagem e avaliações especializadas, ajuda a identificar os principais fatores de risco da pessoa, o que permite ao médico dela elaborar um programa de saúde específico para a sua necessidade”, explica o especialista.

De acordo com Ururahy, o checkup representa uma avaliação médica bastante aprofundada da saúde do paciente, conduzida por vários especialistas e que leva em conta a idade, o sexo, os hábitos de vida e os históricos pessoal e familiar de cada um.

E as vantagens de realizar um checkup são inúmeras. “Muitas vezes, nos deparamos com doenças graves em fase inicial de evolução. Sabemos que quanto mais precoce um diagnóstico, maior a chance de cura”, conta o médico.

“A chave para uma vida longeva está na prevenção, no equilíbrio alimentar, na boa qualidade do sono e na prática regular de exercícios físicos”

Em entrevista dada ao programa Bem-Estar, da Rede Globo, em outubro de 2016, o oncologista Fernando Maluf, do hospital Albert Einstein, afirmou que as chances de cura chegam a 90% quando o câncer é detectado logo no início, sendo o de próstata e o de mama os dois mais curáveis.

Para Ururahy, é inadmissível, nos dias atuais em que dispomos de tantos recursos para evitar perdas irreparáveis, que alguém se depare com uma doença em estágio avançado ou morra precocemente. E para ter uma vida longeva, com saúde e qualidade, ele indica manter hábitos de vida saudáveis. “A chave para uma vida longeva está na prevenção, no equilíbrio alimentar, na boa qualidade do sono e na prática regular de exercícios físicos”, sugere.

Sem o checkup, o risco de doenças aumenta com os anos

A geriatra do Rios D’Or Bárbara Cândido explica que muitas doenças apresentam aumento de sua incidência com a idade. De acordo com ela, o aumento da longevidade, observado com as inúmeras transformações pelas quais a população mundial vem passando, principalmente pelo avanço da ciência e a consequente mudança dos hábitos de vida, naturalmente expõe as pessoas com mais de 60 anos a um maior risco de desenvolver doenças próprias do processo do envelhecimento. Entre elas, a hipertensão arterial, diabetes, neoplasias, osteoporose, patologias cardiovasculares e respiratórias. Além de perda progressiva de massa muscular, distúrbios do sono, depressão e síndromes que acometem a memória.

“Importante destacar que muitas pessoas, a partir dos 50 anos, já apresentam o que se chama de polifarmácia, ou seja, uso de muitos medicamentos simultaneamente, item que é obrigatoriamente incluído na lista de problemas do paciente avaliado por seu médico”, aponta a geriatra. A consequência disso, de acordo com a especialista, é o surgimento de sintomas advindos de efeitos adversos das medicações em uso e de suas combinações.


Bárbara chama a atenção para o papel da família na realização do check-up por pessoas com mais idade, o que em sua opinião é fundamental por normalmente acompanhar o cotidiano do idoso.

“É muito comum que nós próprios tenhamos uma visão de nossa saúde e de nossos hábitos bastante diversa da visão daqueles que nos cercam e que podem contribuir com suas observações e alertas”, avalia Bárbara. “Até disso, o incentivo para o autocuidado é muito importante, a lembrança em relação às datas das consultas e exames e o apoio para a manutenção de uma periodicidade de avaliações médicas e adesão às propostas terapêuticas. Essas tarefas são sempre mais fáceis quando temos alguém que nos apoie e nos motive”, complementou a geriatra.

Conheça os principais exames realizados num checkup e para que serve cada um deles

1. Checkup da pressão arterial

O que é?

Por meio de um aparelho chamado Esfigmomanômetro, o médico confere a pressão arterial do paciente.

Objetivo?

Detectar possíveis alterações na pressão arterial para diagnosticar problemas, como por exemplo a hipertensão, fator de risco para infartos e derrames.

Quando fazer?

O exame dura poucos minutos e costuma ser feito a partir dos 18 anos, devendo ser repetido, no mínimo, uma vez por ano.

2. Hemograma

O que é?

Por meio de coleta de uma mostra de sangue, é realizada a contagem do estoque de células vermelhas e brancas.

Objetivo?

Sinalizar o estado do sangue e do sistema imunológico, acusando problemas como, por exemplo, infecções ou carência de substâncias.

Quando fazer?

Deve ser realizado anualmente desde a infância.

3. Colesterol e glicemia

O que são?

Através de uma mostra de sangue coletada em laboratório, serão realizados testes para avaliar a concentração de gorduras e de açúcar na circulação sanguínea.

Objetivo?

Verificar a probabilidade de o paciente estar diabético ou vir a desenvolver a doença. Já a medição do colesterol e dos triglicérides ajudará a acompanhar a possibilidade de formação de placas capazes de obstruir os vasos.

Quando fazer?

O exame é opcional na infância, mas muito indicado a partir dos 18 anos, e deverá ser solicitado pelo médico quando julgar necessário. Contudo, a partir dos 40 anos, o recomendado é que o exame seja repetido a cada ano.

4. Eletrocardiograma e teste ergométrico

O que são?

Eletrodos são posicionados no peito do paciente para apurar o risco cardiovascular, primeiramente com o paciente deitado e, num segundo momento, com o paciente em movimento.

Objetivo?

Verificar com maior precisão a presença de entupimentos nas artérias, fenômeno que precede ataques cardíacos.

Quando fazer?

Facultativo a partir dos 20 anos e obrigatório aos 40, com repetição anual.

checkup

5. Ecocardiograma

O que é?

É o ultrassom do coração.

Objetivo?

Medir a capacidade de contração do músculo cardíaco e o funcionamento das válvulas, alertando para possíveis disfunções.

Quando fazer?

Facultativo a partir dos 20 anos e obrigatório aos 40, com repetição anual.

6. Preventivo (para mulheres)

O que é?

Uma análise microscópica de células do tecido que reveste o colo do útero. O material é recolhido pelo médico durante a consulta e encaminhado ao laboratório.

Objetivo?

Identificar alterações e possíveis lesões no colo do útero, que podem levar a problemas como câncer.

Quando fazer?

Anualmente a partir do início da vida sexual da mulher.

7. Mamografia

O que é?

Exame radiológico para avaliação das mamas.

Objetivo?

Identificar lesões benignas e cânceres, que geralmente se apresentam como nódulos.

Quando fazer?

Anualmente a partir dos 40 anos. Havendo casos de câncer na família, a investigação deve começar por volta dos 30 anos.

8. Dosagem dos hormônios da tireoide

O que é?

Exame de sangue que calcula hormônios como o TSH e o T4.

Objetivo?

Identificar alterações como hipotireoidismo, hipertireoidismo ou nódulos da tireoide.

Quando fazer?

Geralmente solicitado às mulheres, por apresentarem mais distúrbios na glândula, pode ser prescrito desde a juventude, com periodicidade variável.

Compartilhe com seus amigos