Há inúmeros produtos no mercado que prometem, como elixires modernos, retardar o envelhecimento reduzindo rugas e promovendo um efeito “lifting”, além de melhorar o aspecto de cabelo, unhas e ossos, combater o estresse, dar vitalidade e até garantir um sono tranquilo. Mas é verdade que esses suplementos nutricionais são uma espécie de pílulas da longevidade?

“Sou a favor de uma suplementação que retarde o envelhecimento precoce, mas não como foco [de tratamento]”, afirma o nutricionista Lázaro Medeiros, consultor do Instituto Assaly. “O mercado de suplementos sempre busca vender saúde e beleza ao alcance de uma pílula mágica, mas sabemos que isso não é possível”, pondera a nutricionista e gerontóloga Elci de Almeida Fernandes, diretora da seção São Paulo da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG-SP).


Só quem participa do grupo de Whatsapp do Instituto de Longevidade recebe os melhores conteúdos informativos. Clique aqui e faça parte!


“As ‘pílulas da longevidade’ não podem ser uma estratégia generalista; elas devem ser pensadas e criadas para o que realmente a pessoa precisa”, completa.

Embora admita que seu uso possa ter algum efeito benéfico no organismo, Elci adverte que nenhum suplemento anti-idade “fará mágica e trará seu corpo jovem de volta”. “Além de ser impossível, pode ser perigoso, pois excesso de nutrientes faz mal à saúde”, diz.

“O uso indiscriminado de suplementos nutricionais pode afetar o metabolismo de forma negativa e até sujeitar a pessoa a sobrecargas no fígado e nos rins”, adverte Medeiros. Para Elci, “somente alimentação balanceada e prática cotidiana de atividade física retardam as marcas do envelhecimento”.

Mercado de suplementos nutricionais em alta

Porém, com a cultura ao corpo perfeito, o fato é que esses produtos são comuns no Brasil: em mais de 50% dos lares, pelo menos uma pessoa consome alguma suplementação nutricional, mostrou a pesquisa sobre “Hábitos de consumo de suplementos alimentares”, realizada em 2016 pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres, que congrega os fabricantes, em parceria com outras organizações afins.

“Os suplementos não são uma estratégia para todo mundo. Primeiro que eles devem seguir critérios rigorosos de qualidade, ter a indicação de um profissional e atender a uma necessidade que as vias convencionais como a alimentação não atenderam”, explica Medeiros.

suplementos nutricionais

Créditos: fneun / shutterstock

Segundo Elci, experiências científicas comprovam que o organismo elimina o excesso de vitaminas do tipo hidrossolúveis (vitamina C) através da urina. “Suplementos constituídos desses nutrientes podem simplesmente não fazer efeito”, diz. Já no caso de vitaminas lipossolúveis (vitamina E), o excesso pode se depositar no organismo e, dependendo de qual vitamina se está falando, causar intoxicação.

Em linhas gerais, a maioria desses suplementos são constituídos de nutrientes com ação antioxidante. “Entre outras coisas, combatem o excesso de radicais livres no organismo, responsáveis pelo envelhecimento precoce das células. É o caso, por exemplo, da coenzima Q-10, do selênio e da glutationa”, afirma Elci.

Confira o que os suplementos nutricionais podem fazer por você*

Ácido hialurônico - Potente antioxidante, melhora a hidratação e a elasticidade dos tecidos. Em creme, cápsula ou injetável (aplicado em consultório), o consumo está relacionado à redução de linhas finas de expressão.

Bio-Arct e Exsynutriment - O primeiro tem potentes efeitos antirradicais livres, para produção e manutenção de colágeno e elastina (firmeza, elasticidade e tonicidade da pele). Tem efeito multiplicado quando usado junto ao segundo, que é um antioxidante à base de silício orgânico e dá o efeito “lifting”. Revigoram unhas e cabelos (ação antiqueda) e potencializam a fixação de cálcio.

Betacaroteno - Parecido com a vitamina A, tem função antioxidante e efeitos benéficos em várias áreas, sobretudo na redução do estresse oxidativo.

Biotina - Vitamina do complexo B conhecida como B7 ou H, atua em diversos processos biológicos, muito utilizada em produtos que reduzem a queda de cabelo e que atuam na melhora da pele e da atividade cerebral.

Colágeno Verisol - Muito utilizado para redução do aspecto envelhecido da pele, requer acompanhamento e atenção à dose e ao consumo adequado.

Niacinamida - De uso diário, é a vitamina B3 ou nicotinamida, que aumenta a síntese de ceramidas naturais da pele. Possui ação anti-inflamatória e previne manchas, coceira e irritação na pele sensível. Também previne o câncer de pele.

Polypodium leucotomos – Antioxidante cujos efeitos mais promissores são na redução do fotoenvelhecimento e da cicatrização.

Relora e Serenzo - São ativos muito utilizados na redução do estresse e das tensões. Têm um ótimo efeito e são alternativas naturais aos medicamentos.

Resveratrol - Traz inúmeros benefícios ao corpo: sua ação mais relevante é reduzir a inflamação. Age na saúde cardiovascular e na celulite.

Vitamina C - Possui ótima função antioxidante, muito bem estabelecido pela literatura, porém isoladamente não tem um efeito tão forte. É importante combinar com outros ativos ou consumir alimentos ricos nela.

5HTP - É um ótimo cofator para a produção da serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Tem efeitos promissores, porém é preciso avaliar caso a caso.

*Fonte: Lázaro Medeiros, consultor nutricional do Instituto Assaly.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: