O que você faria se sua mãe octogenária, que ficou viúva aos 38 anos, mas criou oito filhos sem nunca reclamar nem pedir ajuda, recebesse o diagnóstico de uma doença que tirasse subitamente sua tão preciosa autonomia? “Convencê-la que era hora de se mudar para mais perto da família e aceitar acompanhantes em casa”, conta Leônidas Porto. Resumidamente, foi assim, buscando uma solução para um problema pessoal, que nasceu o Gero360, um app para cuidadores, que é gratuito.

“De uma hora para outra, nós, filhos, nos deparamos com a necessidade de gerenciar a rotina da nossa mãe. Acabei assumindo a responsabilidade de fazer a gestão das contas e da equipe de cuidadoras. Meus irmãos assumiram outras funções, e a comunicação entre todos passou a ser um desafio”, diz. Profissional de TI, ele começou a desenhar uma ferramenta que possibilitasse criar um círculo de cuidados, integrando a família aos profissionais que atendem ao idoso em domicílio, nas ILPIs (instituições de longa permanência) ou em seus consultórios.

Desde 2016, Porto, 55 anos, que é formado em desenho industrial e tem especialização em finanças, dedica-se 100% ao app para cuidadores. No ano passado, o Gero360 recebeu o reforço de sua esposa, Ana Paula, 44, formada em comunicação e mestranda em design para a longevidade. O casal, além da sociedade na startup, divide o apartamento com a filha, Sofia, 14; com a mãe de Ana Paula, Manuela, 69; e Elisa, 86, mãe de Porto, além do cão shitzu, Guru, de 7 anos.

“Minha sogra é superativa. Apesar de aposentada, continua trabalhando. Dirige seu próprio carro, faz aula de ginástica e começou a estudar piano após os 65 anos, para estimular a cognição e afastar a possibilidade de Alzheimer – sua mãe e seu irmão, apenas dois anos mais velho, têm a doença. São 3 gerações compartilhando diariamente afeto, atenção e carinho”, diz o empreendedor, para quem não existe “nada mais natural do que cuidar de quem sempre cuidou da gente”.

app para cuidadores Legenda: Leônidas Porto, 55 anos, CEO da startup Gero360, que criou um app para cuidadores; Crédito: Divulgação/Gero360

“Essa é a minha história, mas poderia ser a de muita gente”, diz Porto. Afinal, segundo o relatório “World Population Prospects: The 2017 Revision”, publicado pelas Nações Unidas, até 2050 todas as regiões do mundo, exceto a África, terão pelo menos um quarto de suas populações com 60 anos ou mais. O número de pessoas nesta faixa etária está projetado para 1,4 bilhão em 2030 e 2,1 bilhões em 2050, devendo chegar a 3,1 bilhões em 2100. No Brasil, o IBGE projeta que, em 2030, representarão 30% da população.

No entanto, para Porto há um “descompasso entre a velocidade do envelhecimento populacional e a reação da sociedade na criação de alternativas capazes de promover qualidade de vida para as pessoas dessa faixa etária”. Nesse sentido, avalia, as famílias precisam estar preparadas (com conhecimento, habilidades e ferramentas disponíveis) para cuidar dos seus idosos com o carinho e a atenção que eles cuidaram de seus descendentes. “Estamos diante de um desafio social complexo, para o qual é preciso ter agilidade e diversidade na proposição de soluções.”


Que tal fazer um curso de inglês básico? O Instituto de Longevidade oferece um programa gratuito para quem tem mais de 50 anos. Saiba mais!


app para cuidadores Crédito: Photographee/Shutterstock

Como funciona o Gero 360, app para cuidadores?

Todos os envolvidos no cuidado do idoso são convidados a participar. Essa solicitação é feita via app ou por e-mail. Dependendo do papel (familiar, cuidador ou profissional de saúde), é possível planejar, registrar e/ou acompanhar a rotina. E configurar se deseja receber alertas ou lembretes.

Entre as funcionalidades, o Gero360 oferece:

- registro de medições vitais, com alerta de desvios;

- uso de medicamentos, com lembrete de horários;

- gestão de compromissos médicos – como consultas e sessões de fisioterapia;

- gestão de compromissos sociais.

app para cuidadores Crédito: Reprodução

A mais utilizada, segundo Porto, é a de gestão de medicamentos, na qual a informação é inserida uma única vez e a partir daí o aplicativo emite lembretes de horários. “Estamos totalmente integrados com a tabela da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], e a inserção do medicamento pode ser feita através da leitura do código de barras, utilizando a câmera do celular”, explica.

“O aplicativo faz muita diferença em nossa rotina e estamos certos de que pode fazer para outras pessoas também”, afirma. “Além disso, ao começar a lidar com os temas relacionados à longevidade, percebemos que muitas pessoas não acham natural cuidar de seus idosos. Queremos ajudar a mudar essa cultura e mostrar que não há nada mais natural do que cuidar de quem, muitas vezes, nos deu a vida.”

app para cuidadores Legenda: Os sócios da Gero360: da esq. para dir., sentados, Ana Paula Neves; Marcelo Miranda, analista de sistemas, e Leônidas Porto; em pé, Ricardo Porto, designer, e Virgílio Garcia, médico geriatra; crédito: divulgação/Gero360.

“A tecnologia é uma grande aliada da longevidade, mas nada substitui a dedicação, o carinho e o afeto”

Nos planos da startup, que tem cinco sócios e três funcionários e segue o conceito “freemium”, estão, além do aplicativo gratuito para cuidadores, disponibilizar ao mercado uma linha de produtos premium, com funcionalidades específicas para os diferentes perfis que compõe um círculo de cuidados: para as famílias, o app premium; para as os profissionais de saúde, o Gero360Pro; para as ILPIs, o Gero360ILPI.

“O aplicativo gratuito será o produto que conecta os membros do círculo, e o Gero360ILPI será o coração de nossas funcionalidades, com gestão de estoque de medicamentos e relatórios evolutivos de saúde. Todas serão, inicialmente, disponibilizadas e validadas junto às ILPIs.” A fase um desse produto ficou pronta este mês e está sendo implementada na Casa de Repouso Vila do Sol, no Rio.

Criada com recursos pessoais, a Gero360 recebeu recursos do programa Startup Rio, que permitiu o lançamento do app em novembro de 2017 nas plataformas Android e iOS. E colecionou algumas conquistas neste ano, como estar entre as três melhores iniciativas selecionadas por Aging2.0 São Paulo, Ativen e Hype 60+ e ser escolhida para o ciclo de aceleração 2018 do InovAtiva, o maior programa de aceleração de startups do Brasil.

“A tecnologia é uma grande aliada da longevidade, mas nada substitui a dedicação, o carinho e o afeto de familiares e profissionais especialistas que se dedicam ao cuidado de idosos”, resume Porto.

Leia também:

“Eu deixei de ser filha única e passei a ser cuidadora única”, diz autora

ILPIs x Cuidador de Idosos: o dilema de quem precisa tomar uma dura decisão

Compartilhe com seus amigos