“Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso”, diria o poeta Vinícius de Moraes, em “Para Viver um Grande Amor”. Mas uma relação exige mais do que isso, na avaliação de solteiros com mais de 50 anos de idade. Amor, fidelidade e companheirismo estão entre as principais expectativas em um relacionamento duradouro.

É o que mostra uma pesquisa divulgada recentemente pelo site e app de relacionamento OurTime, focado em pessoas com mais de 50 anos de idade. Para o sucesso da relação, o amor e a fidelidade são os dois quesitos mais importantes. A parceria entre o casal também é tida como imprescindível entre os 1.327 solteiros consultados.

No recorte masculino, o amor se confirma como o mais importante item (46%), seguido por fidelidade (30%), sexo (14%), diversão (6%) e dinheiro (4%). No resultado feminino, o amor também obteve a maioria das respostas (57%), acompanhado por fidelidade (34%), sexo (6%) e diversão (3%).

Questionados sobre o que mais valorizam na parceira ideal, 86% dos homens indicaram "ser companheira em todos os momentos"; 5%, "ter sucesso na carreira"; outros 5%, "ser bem-humorada"; 2%, "beleza" e, por fim, 2% apreciam o fato de "se dar bem com a minha família e amigos".


As mulheres também confirmam que o comportamento que mais valorizam no parceiro ideal é ele "ser companheiro em todos os momentos", segundo 82% das entrevistadas. Na sequência, os resultados trazem: "ser bem-humorado" (9%), "ter sucesso na carreira" (5%), "beleza" (2%) e "se dar bem com a minha família e amigos" (2%).

O que importa

Aos 50 anos, homens e mulheres se sentem mais equilibrados e buscam o amor de alguém que seja, acima de tudo, um companheiro para dividir experiências – e, dessa forma, aproveitar a vida, segundo o psicólogo Celso Braga, sócio-diretor do Grupo Bridge e autor de "A Magia dos Sentimentos".

"A maturidade emocional nessa fase permite que eles possam ir além do superficial, da beleza efêmera e do gosto pela conquista”

"A maturidade emocional nessa fase permite que eles possam ir além do superficial, da beleza efêmera e do gosto pela conquista. Assim, cada vez mais a solidez do companheirismo, da possibilidade de rir juntos e da maior cumplicidade passa a ser mais importante como fonte de felicidade", salienta.

Para Rute Velasquez, psicóloga, neuropsicóloga e professora de neurociências do curso de psicologia do Centro Universitário Newton Paiva, a meia-idade frequentemente traz uma reestruturação de papéis sociais: homens e mulheres, antes dedicados a cuidar dos filhos ou da carreira, não têm mais responsabilidades familiares e podem mudar o ritmo de trabalho. Buscar uma nova relação seria avançar para mais um estágio na vida.

Os novos envolvimentos, diz ela, tendem a ser grande fonte de felicidade. "Estudos mostram que os relacionamentos positivos são a mais importante causa de bem-estar e satisfação com a vida", comenta.

Quem procura parceria amorosa demonstra autonomia, autoestima e proatividade, já que está em busca de algo que favorece a qualidade de vida e a saúde física e mental. Além disso, nessa fase, as pessoas tendem a ser mais maduras socialmente, mostrando-se mais confiantes, simpáticas, responsáveis e calmas.

Yuri Busin, também psicólogo e diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental – Equilíbrio (Casme), acrescenta que as pessoas que passaram dos 50 anos de idade, em geral, viveram uma relação e têm filhos adultos. Elas podem se sentir sozinhas ou solitárias, sem novos objetivos quando não há alguém para compartilhar a vida.

"É natural que, ao longo da vida e com a evolução pessoal, algumas características do parceiro se tornem mais relevantes para um novo relacionamento. Por isso, buscam em suas novas relações algumas características mais fortes como cumplicidade, parceria, maturidade, amizade e companhia", avalia.

Leia também:

Saiba como melhorar a comunicação na vida a 2 em 8 passos

Estar aberto ao amor é mais fácil após longos relacionamentos

Compartilhe com seus amigos