Em 21 de junho, comemora-se os 100 anos de nascimento do Rei do Rádio, Nelson Gonçalves. Um dos maiores cantores da história da MPB e dono de uma voz empostada de médio tenor, era também compositor, tendo embalado os corações apaixonados de muitas gerações.

Nascido Antônio Gonçalves Sobral, na sul-rio-grandense Santana de Livramento, mudou-se para São Paulo aos 7 anos de idade. O pai, feirante e pedreiro, levava Nelson Gonçalves a praças e feiras para pequenas performances – ele cantava, e o patriarca tocava violino.

Antes de ser famoso por conta da música, trabalhou como jornaleiro, mecânico, engraxate, polidor, tamanqueiro e garçom, entre outras funções. Foi, ainda, lutador de boxe, e chegou a conquistar o título de campeão paulista na categoria peso-médio aos 16 anos.


O escritor Gabriel Chalita traz para você a melhor biografia sobre o Rei do Rádio: "Nelson Gonçalves, O amor e o tempo" Clique aqui e adquira o seu exemplar.


Pouco depois do primeiro de seus vários casamentos, aos 20 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro para seguir tentando a sorte musical. Demorou um pouco. Só no início dos anos 40 começou a fazer sucesso. Mas sua carreira, bem como sua vida pessoal, foi uma verdadeira montanha-russa, por causa do seu envolvimento com drogas.

Metralha, outro apelido que carregava, chegou a ser preso na década de 60 por porte de cocaína. Solto, iniciou tratamentos para se desintoxicar. Abandonou o vício de vez em 1980. Com a recuperação, a carreira deslanchou.

Em toda a vida, gravou mais de 2.000 canções, ganhou dezenas de discos de ouro e de platina, vendeu mais de 15 milhões de cópias.  Por 60 anos, cantou samba-canção, tango, bolero, choro, valsa, modinha, jazz, bossa-nova, entre outros gêneros. Morreu em 18 de abril de 1998, com um infarto agudo do miocárdio, pouco antes de completar 79 anos.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: