Na última sexta-feira (20), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deu um alerta: “Cuidem dos idosos. É hora de filho e filha cuidarem dos pais”.  Na sequência, famosos endossaram as palavras do ministro com novos pedidos em suas redes sociais para a população manter os idosos em casa Ou pelo menos tentar. 

A primeira foi a apresentadora Ana Maria Braga. “Esse vírus não mostra a cara, a gente fica sabendo depois, quando não tem mais jeito. Tomem cuidado; fiquem em casa. Não é uma brincadeira”, disse a apresentadora, num vídeo postado em seu Instagram na segunda-feira (23).  

Coronavírus: cadastre o seu e-mail e receba notícias

Tenha as últimas notícias sobre as medidas de contenção e prevenção, número de casos, tratamento e muito mais. Juntos, podemos virar este jogo! Cadastre-se agora.

Livro

No mesmo dia, à noite, o padre Fábio de Melo também fez o seu pedido cheio de humor. “Tô vendo aqui que tem 'véio' continuando desobedecendo, saindo... Gente, vocês, pelo amor de Deus, bate esses bundão de vocês no sofá que o negócio não tá brinquedo para nós que é velho. É uma vergonha que vocês continue desobedecendo", disse o padre em tom de brincadeira, utilizando um filtro de imagem para parecer bem mais velho. 

Ponto de grande preocupação, a saúde dos idosos vem ganhando cada vez mais destaque na pauta das autoridades de saúde de todo o mundo. Relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde colocam os mais velhos entre os mais suscetíveis ao novo coronavírus. Outro ponto de atenção é a taxa de letalidade entre idososNo Brasil, está em 14,8%, frente a 0,2% em jovens.  

No entanto, muitas pessoas reclamam da dificuldade de manter os pais idosos em casa, que insistem em seguir com uma rotina normal, indo a mercado, lotéricas e praças para encontrar os amigos.  

E para ajudar nossos leitores que andam enfrentando esse problema, preparamos uma lista com 5 argumentos que vão ajudar a convencê-los.

pontos para convencer seu idoso a ficar em casa 

Maioria das vítimas tem mais de 60 anos

Até o momento, o Brasil já registrou 1.891 casos de infecção pelo novo coronavírus e 34 mortes (30 em São Paulo e 4 no Rio de Janeiro). Entre as vítimas, um jovem de 33 anos e uma mulher com 58 anos. Todos os demais (32 pessoas) tinham idade superior a 60 anos.  

Segundo o gerontólogo e gerente do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, Antônio Leitão, são muitas as razões que colocam os idosos no grupo de risco.

“Com o avanço da idade, é comum que o sistema imunológico apresente algumas fragilidades. Assim como uma máquina, os problemas podem aparecer”, explica Leitão, que ainda aponta outros fatores.  

“Os anticorpos se tornam menos capazes de responder a infecções, mesmo que a pessoa tenha tomado todas as vacinas ao longo da vida. Além disso, pulmões e mucosas tornam-se mais frágeis e vulneráveis a doenças virais, justamente o caso da covid-19", acrescenta o gerente.

Transmissão comunitária do vírus 

No dia 13 de março, o Brasil registrou o primeiro caso de transmissão comunitária do coronavírus, o que significa que o contágio não é mais pelo contato com pessoas que estiverem nos países mais contaminados e foram infectadas. Agora, a transmissão acontece nas cidades e no país.

Isso significa que qualquer pessoa pode estar infectada pelo coronavírus. Além disso, uma pessoa infectada pode não desenvolver os sintomas específicos da doença. Sem saber que está doente, essa pessoa seguirá infectando todos que encontrar pela frente.

Por isso, respeite a quarentena e evite qualquer tipo de contato físico.

Cuidado com as superfícies

O risco de contrair a covid-19, doença transmitida pelo coronavírus, não está somente no contato físico com as pessoas. Cientistas descobriram que o vírus é capaz de sobreviver por horas ou até mesmo por dias em determinadas superfícies, como plástico e metal.  

manter idoso em casa

Assim, uma pessoa pode ser infectada com um simples gesto, como abrir a maçaneta de uma porta, apertar o botão de um elevador, carregar uma sacola plástica do supermercado e até mesmo falando ao celular.  

Por essa razão, as autoridades de saúde insistem que a medida mais prudente é ficar em casa. Se tiver que sair, antes de entrar em casa, deixe os sapatos do lado de fora. Ao entrar, coloque toda a roupa para lavar, limpe os produtos que trouxer da rua com sabão ou álcool gel e lave bem as mãos, esfregando-as com água e sabão por pelo menos 40 segundos. E não se esqueça de passar um pano com álcool gel na maçaneta da porta para evitar a recontaminação.  

Imunidade reduzida com a idade

Pessoas idosas geralmente têm uma capacidade imunológica mais reduzida que as mais jovens, por isso estão mais propensas a sofrer com infecções. Daí o risco de uma simples gripe evoluir para o quadro de uma pneumonia em uma pessoa com mais de 60 anos.

De acordo com especialistas, não há uma razão única para esse fenômeno. São alterações naturais nas funções fisiológicas que acontecem com o avançar da idade. No entanto, frente ao coronavírus, o risco de uma pessoa idosa vir as morrer devido às complicações da doença chegam a ser 74 vezes maiores do que o risco sofrido por um jovem com idade entre 10 e 19 anos.

Você pode evitar que outras pessoas se contaminem

Muitas pessoas acreditam que têm a saúde de ferro e que nada pode atingi-los, nem mesmo um vírus vindo lá do outro lado do mundo. Esse sentimento é ainda mais forte em pessoas com mais idade que já viveram tantas coisas que acreditam mesmo serem invencíveis.

Contudo, vivemos em uma sociedade e, mesmo que vivamos sozinhos, a todo instante pelas ruas vamos esbarrar com pessoas de todos os tipos, idades, raças, credos, crenças etc. E essas pessoas podem não ter a mesma resistência que nós temos. Isso sem falar no nível de transmissão desse novo vírus, estimado em pelo menos 2,5 pelos cientistas. Isso quer dizer que cada pessoa infectada passará o vírus para outras duas a três pessoas, em média.

Por isso, cuide de si e cuide dos outros. Fique em casa e proteja-se!


Cadastre-se aqui para receber notícias e informações atualizadas sobre coronavírus no seu e-mail todos os dias.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: