Era uma vez um casal que sonhava em ajudar idosos carentes, mas não tinha dinheiro para tanto. O objetivo de vida de Álvaro e Alice era montar uma instituição que abrigasse pessoas mais velhas que não tivessem recursos financeiros.

Em 1949, Alice morreu e deixou o “Capitão” Cardozo, ou Álvaro de Azambuja Cardozo, sozinho com seu ideal. Apenas um “milagre” poderia dar conta da realização do desejo do casal.

E ele aconteceu: em 1952, Álvaro ganhou o primeiro prêmio da Loteria Federal e finalmente pôde montar o empreendimento com que tanto sonhava e ao qual se dedicou até sua morte, em 1970. Ele, inclusive, passou a morar no local quando suas acomodações ficaram prontas.

Essa história de fato se parece com uma fábula, mas ocorreu de verdade. A Casa dos Velhos Irmã Alice funciona até hoje, no mesmo local em que foi fundada – um terreno de 30 mil m² em Guarulhos, Grande São Paulo, nas proximidades da Rodovia Presidente Dutra.

As instalações mais recentes, construídas na década de 1970, incluem quatro pavilhões de alojamento, cozinha, refeitório e salão de recreação e foram patrocinadas pelo Lions Club de Guarulhos e pela Associação Pró-Vida.

Quem preside hoje a instituição é o oftalmologista Sergio Armond, neto do “Capitão”. Ele lembra que o avô havia comprado o equivalente a meio bilhete da loteria, o suficiente para que fosse contemplado com a premiação.

“Culturalmente, o idoso é relegado a um segundo plano”

A Casa dos Velhos Irmã Alice abriga, em regime de semi-internato gratuito, homens com mais de 60 anos cujos familiares não dão suportes financeiro, social e emocional compatíveis com suas necessidades. A iniciativa é mantida por doações de pessoas físicas e jurídicas.

No entanto, as contribuições não têm sido ideais para a demanda de recursos para esse instituto de longa permanência para idosos. “Há um costume maior de ajudar crianças, porque se vislumbra um futuro para elas que pode ser magnífico”, afirma Armond. “Culturalmente, o idoso é relegado a um segundo plano.”

loteria Palhaço interage com idoso; ao fundo, pavilhões de alojamento; crédito: Divulgação.

Existem várias maneiras de contribuir com a saúde financeira da Casa. São aceitas doações de alimentos, cestas básicas, itens de vestuário e produtos de higiene e limpeza, entre outros. Também podem ser feitos depósitos em dinheiro em contas do Itaú e da Caixa Econômica Federal, bem como realizados pagamentos via cartão de crédito.

Também existe a opção de adotar, integral ou parcialmente, um velhinho entre os internos. Além disso, no primeiro sábado após o quinto dia útil de cada mês, é realizado um bazar de caridade para angariar fundos para a instituição. Mais informações sobre como ajudar o projeto estão no site http://www.casadosvelhos.org.br/.

Pode-se dizer que a Casa dos Velhos Irmã Alice surgiu a partir da convicção de um propósito aliada a um golpe de sorte do acaso. Mas, atualmente, a sorte de seus habitantes não precisa depender da loteria do destino – basta que haja o “milagre” da solidariedade.

LEIA TAMBÉM: Solidariedade é maior após os 50 anos de idade 

Compartilhe com seus amigos