Independência é bom demais, mas custa caro! Um estudo realizado pela gerontóloga Suyen Miranda constatou fatos bastante interessantes sobre as preferências de moradias de pessoas com mais de 60 anos. Segundo o material, quanto mais idade o indivíduo tem, menor é seu interesse em comprar um imóvel. Ao contrário dos mais jovens e com menor índice de escolaridade, eles preferem alugar um espaço, com períodos contratuais de menos de 30 meses (como é o padrão brasileiro), que podem ser renovados ou estendidos.

A gerontóloga explica que o público 60+ busca mobilidade com qualidade. “Idosos com longevidade escolhem, seja para viverem sós ou morar com amigos, lugares práticos, com menos firulas e abrem mão de coisas que, em outros tempos, seriam impensáveis, como cozinhar em casa. Eles estão definitivamente repensando a questão moradia. E alugar um espaço adequado tem sido a alternativa mais adotada por eles”, afirmou Suyen em entrevista ao portal Quinto Andar, veículo especializado em locação de imóveis.

“Idosos com longevidade escolhem lugares práticos, com menos firulas e abrem mão de coisas que, em outros tempos, seriam impensáveis, como cozinhar em casa”

Segundo ela, a maioria das pessoas nessa faixa etária passou seus últimos 50 anos cuidando da família, da carreira e dos filhos, visando ao conforto de todos. “Era bem comum sonhar e realizar o sonho da casa própria, depois aumentar essa casa para receber os familiares e os netos. Porém, a própria sociedade mudou e essa linearidade se alterou. Hoje vemos filhos adultos sem filhos, por exemplo, e que até preferem ainda viver com os pais, idosos. Esses pais, muitas vezes, querem mudar a vida deixando o cuidado com uma casa ou apartamento grande como lembrança do passado”, conta a gerontóloga.

Para Suyen, eles aprendem pelo caminho mais complicado que imóvel de moradia não é exatamente investimento, porque recebe melhorias que para outro comprador não são relevantes, e daí surgem os elefantes brancos, lindos mas invendáveis. Daí é um pequeno pulo vender o imóvel grande e usar o dinheiro como liquidez tanto para investir no aumento da aposentadoria quanto para ser um colchão de segurança e assim viajarem quando quiserem.

Onde cabe um, cabem dois!

Outra opção que vem sendo cada vez mais adotada nos últimos anos pelas pessoas com mais idade é morar com amigos ou mesmo com um desconhecido para economizar nas despesas. Na segunda hipótese, em que o apartamento é compartilhado com um desconhecido, o processo pode se dar informalmente, com um contrato “de boca”, ou com um contrato formal de sublocação. No entanto, a modalidade, embora legal e prevista na lei do inquilinato, muitas vezes não é aceita pelo proprietário do imóvel. Uma boa dica é verificar se consta alguma cláusula impeditiva no seu contrato de locação.

Pensando nisso, alguns empreendedores já desenvolveram espaços de moradia compartilhada. Conhecidos como CoLiving, os espaços permitem que as pessoas aluguem um quarto com banheiro e compartilhem serviços e áreas comuns. É verdadeiramente uma comunidade onde as necessidades e os custos são otimizados. A ideia é promover o incentivo à convivência e à troca de experiências. Pode-se dizer que é um movimento com grande chance de se tornar irreversível e potencializar novas tendências, como a segmentação com empreendimentos voltados para públicos específicos, como profissionais liberais jovens e pessoas idosas. Além do que, o CoLiving tende a ser uma alternativa à escassez crescente de espaços urbanos habitáveis.

Separamos algumas dicas para quem deseja morar com amigos. Se esta é a sua intenção, foque na boa convivência e boa sorte!

Escolha bem da região

Prefira um lugar que seja próximo de onde você trabalha ou estuda e onde tenha bastante comércio. Assim, por se deslocar menos, você gasta pouco com o transporte no dia a dia. Caso essa região seja muito valorizada, faça as contas para ver qual a diferença de gasto com a escolha de um imóvel mais afastado.

Organização

Tenha um caderno para fazer anotações sobre o que cada um gastou. Dessa maneira, se houver revezamento dos pagamentos - serviço de faxineira, aluguel, condomínio e contas -, sabe-se perfeitamente quem deve pagar da próxima vez.

Perfil do colega

Avalie bem o perfil da pessoa que vai dividir a moradia com você. Às vezes, escolher um amigo muito próximo e que tenha características opostas às suas não é a melhor opção. Uma boa convivência é importante, principalmente nos momentos de dificuldades financeiras.

Mobiliando a casa nova

É possível que você encontre locais que já vêm mobiliados. Nesse caso, aproveite todos os móveis que dê para aproveitar, afinal, eles estão inclusos no valor pago mensalmente. Se o imóvel vier vazio, compre os móveis, utensílios domésticos e objetos de decoração em lojas baratas ou que tenham promoções. As lojas varejistas e os brechós são boas opções para economizar. Você pode, também, consultar seus amigos e seus familiares para ver se eles não têm itens sobrando em casa.

Administração de gastos

Quando as contas estiverem ficando muito altas, faça uma reunião com o colega para encontrar a causa do problema e tentar solucioná-lo. Em relação às compras da casa (alimentação e artigos de limpeza, por exemplo), o ideal é que todos os valores sejam divididos igualmente. Se cada um quiser consumir produtos diferentes, é importante que comprem estes separadamente, principalmente os itens mais caros.

Compartilhe com seus amigos