Você sabia que tapete e capacho são coisas distintas? E que quando mal colocados ou em situações irregulares podem oferecer riscos? No Brasil, cerca de 37% de todos os feridos atendidos em hospitais são vítimas de acidentes domésticos, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Pequenos e simples detalhes fazem diferença quando o assunto é prevenir acidentes domiciliares. Dentre tantos, é preciso evitar situações que te levem a tropeçar, desequilibrar ou cair.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (Sbait), aproximadamente 54% de queda em pessoas 60+ são causadas por ambiente inadequado.

Um dos grandes fatores de riscos em acidentes domiciliares é o mal uso de tapetes. Para entender como garantir segurança dentro de casa, o Instituto de Longevidade conversou com a arquiteta, mestre e doutoranda em gerontologia Mariana Nascimento, que deu dicas de como usar o item da melhor forma.

Tapete x capacho

Para quem acha que ambos têm a mesma função, a especialista explica que o capacho é um tipo de tapete, mas o que o diferencia dos convencionais é a sua função e materiais.

“Os capachos são utilizados nas entradas da casa para limpar os pés, geralmente feitos com materiais mais resistentes, como nylon e vinil, e fibras mais grossas, que ajudam a reter a sujeira trazida da rua”, explica.

Já os tapetes são usados internamente e podem apenas cumprir um papel estético ou ajudar no conforto térmico e na segurança, como os emborrachados e antiderrapantes normalmente colocados nos banheiros.

Para quem tem 60+ ou possui alguma dificuldade de locomoção, Mariana recomenda não ter tapete em casa. “No entanto, quando colocado no banheiro ele pode dar mais segurança na hora do banho, desde que seja emborrachado e tenha uma boa aderência ao piso”.

Pisos aquecidos podem substituir o tapete para proteger do frio

Em regiões mais frias, é muito comum usar o tapete como forma de aquecer o cômodo. Para estas situações, a arquiteta lembra da possibilidade de instalar pisos aquecidos. “Outra opção é substituir o piso ‘frio’ pelo ‘quente’. Troque os porcelanatos, pedras, cerâmicos e cimento por pisos laminados, assoalhos de madeira, bambu, borracha, entre outros”.

Mas, se você não abre mão do item na sua casa, a especialista sugere deixar de lado os feitos de pano e dar preferência aos com materiais específicos, que ajudam a diminuir o risco de acidente. “Os emborrachados são os mais propícios para áreas como banheiros e cozinhas, pois são resistentes a umidade e a água e se mantem estáveis mesmo molhados”. 

Os modelos com ventosas também proporcionam maior aderência e são usados com frequência dentro de boxs no banheiro. Além desses tapetes, outra dica é optar pelos pisos antiderrapantes.

Se preocupar com os detalhes da casa é uma forma de prevenir imprevistos, como tropeços, quedas e escorregões, que podem ocasionar problemas sérios de saúde, sobretudo para quem é 60+. O Master Acidentes Domiciliares oferece uma gama de serviços para deixar a sua casa mais segura.

5 dicas para você usar tapete e diminuir a chance de se acidentar

Mariana sugere que se o tapete for utilizado em “ambientes como salas e quartos, uma opção é colocá-los embaixo dos móveis, que ajudam a evitar que o tapete deslize. Nas pontas que ficarem soltas, podem ser colocados resina, fitas ou adesivos antiderrapantes específicos”.


A MAG Seguros oferece a você a cobertura financeira para um problema real e bem provável: os acidentes. Clique aqui e faça a simulação do seu seguro. 


Para garantir que ele não vai se movimentar ou que as pontas não vão levantar, é importante testar a aderência dele com o piso. “Caso ainda escorregue, opte por outro sistema antiderrapante, complemente com as opções mencionadas ou troque por um tapete de outro material, até que ele fique estável e não saia do lugar”, orienta a arquiteta.

1. Evite tapetes muito leves, que apesar de serem mais fáceis de lavar, muitas vezes deslizam e têm pouco atrito;

2. No caso de áreas molhadas, como cozinhas, banheiros e quintais, use tapetes emborrachados, como os de vinil ou que tenham ventosas que fiquem bem fixadas no chão;

3. Para higienizá-los procure por profissionais ou peça ajuda a fim de evitar possíveis acidentes;

4. Coloque antiderrapante nos capachos, caso eles deslizem, ou substitua por um modelo mais firme ou fixo;

5. Siga sempre as instruções do fabricante para instalar o antiderrapante adequadamente. Caso fique com dúvidas, procure por informações na internet ou vídeos de como instalar. A má instalação pode não garantir o atrito necessário.


Leia mais:

- Ministério lança cartilha de prevenção a acidentes domésticos e primeiros socorros

- 13 dicas para evitar acidentes domésticos nos cômodos mais perigosos da casa

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: