Os móveis da sua casa nunca lhe ofereceram perigo e sempre estiverem posicionados no mesmo lugar. Até que certo dia você se acidenta com um deles e percebe que precisa adaptá-lo. Você já se questionou se os móveis da sua casa estão preparados para o seu envelhecimento?

Talvez essa questão não seja o foco do problema para muitas pessoas e é aí que mora o perigo. Segundo o Ministério da Saúde, 70% das quedas entre idosos acontecem dentro de casa.  Mas, afinal, como se proteger para não sofrer acidentes domésticos?

A resposta é simples, mas requer planejamento: prevenção. Para a arquiteta, mestre e doutoranda em gerontologia Mariana Nascimento, alguns móveis são mais propícios para provocar acidentes e adaptá-los à sua realidade é o primeiro passo para prevenir.


Melhor do que estar protegido, é estar protegido pagando pouco. Simule aqui o seu seguro de acidentes pessoais e garanta mais tranquilidade para você e sua família.


É preciso analisar caso a caso, mas a especialista pede atenção redobrada aos “móveis instáveis, muito leves – como os de plástico – ou muito pesados – como os de madeira maciça-, mal cuidados, com quinas, muito altos ou baixos e fora dos padrões”.

Estas mobílias costumam não oferecer uma superfície estável para apoio, podendo provocar desequilíbrio e levar a queda. “Além daquelas que atrapalham a circulação ou ficam no meio da passagem, onde é possível tropeçar”, explica.

De maneira geral, o que se pode fazer para torná-los mais seguros sem precisar se desfazer deles?

Móveis adaptados para o seu envelhecimento

A arquiteta sugere instalar “protetores de quina e borrachas antiderrapantes nos pés de cadeiras, mesas e poltronas” e garante que existem modelos discretos e que não interferem na aparência do móvel.

Quando pensamos em sofás e cadeiras, os braços em boas condições são fundamentais para evitar o risco de acidentes. Porém, como medida paliativa, almofadas mais firmes podem servir de apoio na hora de sentar e levantar.

Agora, se você pensa em reformar o sofá, não esqueça de “incluir braços não muito largos e aumentar a altura dos assentos”, recomenda Mariana. E se for comprar móveis novos, opte pelos que têm cantos arredondados ou chanfrados.

Desobstrua áreas de passagem

Muitas vezes os acidentes são causados por tropeções ou batidas nos móveis. Nestes casos, a especialista pede para “observar se eles estão na área de passagem e se estiverem é necessário reposicioná-los”.

Colocar rodízios com travas nos móveis também pode ajudar na hora da movimentação, especialmente para limpeza. Outra boa dica é checar todo o mobiliário da casa para verificar se existe alguma instabilidade. Caso perceba que sim, coloque um calço adequado para que volte ao normal.

Todos esses serviços de reorganização de móveis e utensílios de casa fazem parte do Seguro Master Acidentes. Adquirindo o plano você garante segurança e comodidade, além de ter acesso a outros benefícios para prevenir imprevistos domésticos.  

Dicas do que se deve evitar e do que investir

Fique de olho nos móveis que têm atrapalhado sua rotina em cada área da casa. “Preste atenção na hora de se deslocar pelo cômodo ou mudar de ambiente, durante a limpeza, em quais móveis precisam de manutenção constante, onde você já tenha tropeçado ou topado”.

Este diagnóstico é importante, pois através dele você consegue repensar a disposição do mobiliário da sua casa, entendendo o que pode ser retirado ou realocado para ter um ambiente mais seguro para o seu envelhecimento.

Evite:

- Quinas ou móveis com ângulos agudos;
- Mobiliário no meio de corredores, áreas de passagem e circulação ou no começou ou final de escadas;
- Mesas de centro na sala ou no meio de outros cômodos;
- Superfícies muito lisas.

Invista:

- Cantos e bordas arredondadas ou chanfradas;
- Móveis que respeitem os padrões de dimensionamento *
- Medidas que deixam a sua casa adaptada para você (antiderrapantes, protetores de quina, móveis planejados para quem é muito alto ou baixo, cadeirantes, pessoas com deficiência, entre outros)

 * “Uma boa fonte para consultas é a NBR 9050, norma técnica de acessibilidade que traz parâmetros antropométricos baseados no desenho universal. Porém, por ser um documento técnico, nem sempre é fácil compreender”.


Leia Mais:

13 dicas para evitar acidentes domésticos nos cômodos mais perigosos da casa

Dia Mundial de Prevenção de Quedas em Idosos: entenda por que mulheres se acidentam mais

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: