Uma série de medidas de reforço às políticas públicas voltadas aos idosos foram anunciadas no início do mês pelo Governo Federal durante evento realizado em Brasília e que contou com a presença de autoridades como o presidente da República, Jair Bolsonaro, e dos ministros chefe da Casa Civil, Braga Netto, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves.

Entre as ações, um destaque especial para o lançamento de uma campanha de combate à violência financeira contra o idoso. Resultado de uma parceria entre o MMFDH, o Banco Central do Brasil (BCB) e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a campanha tem o objetivo de informar e conscientizar esse público sobre as tentativas de golpes financeiros e contará com medidas para proteção e enfrentamento à violação de direitos das pessoas idosas.

De acordo com um levantamento realizado pela Febraban, o número de tentativas de golpes financeiros contra pessoas idosas teve um aumento de 60% desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus. Dessas, 70% estão vinculadas a tentativas de estelionatários em obter códigos e senhas. No mesmo período, as instituições financeiras registraram aumento de mais de 80% nas tentativas de ataques de phishing (e-mails falsos que vão parar na sua caixa de entrada e, quando abertos, instalam um vírus que direciona o usuário a sites falsos do banco daquela pessoa).

A campanha contará com postagens nas redes sociais dos órgãos envolvidos e vídeos que ensinarão a população idosa a se proteger dos principais golpes aplicados atualmente contra os clientes bancários. Entre as dicas estão:

  • o banco nunca liga para o cliente pedindo senha nem o número do cartão;
  • também em hipótese alguma vai mandar alguém para a casa do cliente para retirar o cartão;
  • bancos nunca ligam para pedir para realizar uma transferência ou qualquer tipo de pagamento;
  • ao receber uma ligação dizendo que o cartão foi clonado, o cliente deve desligar, pegar o número de telefone que está no cartão e ligar de outro telefone para esclarecer a informação;
  • recebeu um SMS ou e-mail do banco com um link? Apague imediatamente e ligue para o seu gerente;
  • jamais compartilhe sua senha com ninguém.
  • Auxílio às ILPIs

Durante o evento, também foi anunciada a assinatura de uma portaria que definirá os critérios para a destinação de R$ 160 milhões a Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs).

"São mais de 3.800 instituições que vão receber, diretamente, da Fundação Banco do Brasil. Nosso ministério, em parceria com a Fundação Banco do Brasil, vai mandar diretamente para as instituições, neste período de pandemia, para a adequação das instituições com a compra de material para usar no que elas estão precisando para proteger os idosos", destacou Damares.

Com isso, o governo espera garantir a realização de ações por parte das ILPIs para minimizar os efeitos da pandemia de coronavírus.


Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: