Atenção, senhores passageiros: a viagem dos sonhos pode ficar mais em conta sem muito esforço. Sabe como? Levando em consideração datas, horários, escalas e época – e recorrendo a ferramentas online para ajudar a mapear promoções e com isso economizar na passagem aérea.

Com o auxílio de Fabrício Morini, piloto de avião e criador da escola de voo Morini Air; de Guilherme Tetamanti, criador do blog Quero Viajar Mais e autor do livro “Quero Viajar Mais”; e dos comparadores de preços Kayak e Skyscanner, listamos as dicas para poupar na compra.

1. Antecipe-se

“Não existe regra quando o assunto é antecedência na compra, pois já consegui bons preços em diversas ocasiões. Mas uma coisa é certa: quanto mais perto da data da viagem, mais caros ficam os preços de passagens aéreas, além de haver menor disponibilidade de lugares e horários”, ressalta Guilherme.

Comece a acompanhar os valores seis meses antes. Segundo a Kayak, comprar bilhetes para destinos nacionais com um mês de antecedência e para destinos internacionais de três a quatro meses antes do embarque pode garantir uma economia de 15% a 25%.

 “O maior erro dos brasileiros na compra de passagens aéreas é deixar tudo para a última hora”, ressalta Fabrício.

2. Opte pela época certa

Alta temporada e datas comemorativas são sinônimo de preços mais altos. Se possível, fuja das férias – janeiro, julho e dezembro –, fins de semana e feriados.

Ir em um sábado e voltar em uma segunda em vez de ir sexta e voltar num domingo, por exemplo, pode garantir uma boa economia, já que voos com maior demanda são mais caros.

3. Evite horários de pico

A hora da viagem também pode influenciar os preços das passagens aéreas. Voos que partem das 10h às 16h ou das 22h às 6h costumam ser menos concorridos, assim como embarques às terças, quartas, quintas e sábados, segundo Guilherme.

4. Opte por destinos mais baratos

Considere conhecer o Brasil, em vez de ir para o exterior. Viagens domésticas costumam ser mais baratas.

5. Tenha flexibilidade

“Ajuda bastante se você tiver flexibilidade no dia da viagem. Assim, consegue pesquisar várias datas e ver qual é menos procurada e, em consequência, tem preços melhores”, destaca Guilherme.

Em comparadores de preços como o Skyscanner, é possível fazer uma busca pelo mês mais em conta e definir as datas de acordo com média de preços e promoções disponíveis no momento.

A sua cidade é um bom lugar para envelhecer? Conheça a realidade dos idosos em 498 municípios brasileiros com o IDL.

6. Pesquise em sites e apps

Confira os preços nos sites de companhias aéreas e use buscadores de promoções, como Google Flights, Decolar, Kayak, Skyscanner e Voopter.

7. Navegue anonimamente

Outro truque é navegar no modo anônimo. Os sites monitoram suas pesquisas e podem ocultar novas promoções.

8. Madrugue – ou nem durma

“Percebi que pesquisar de madrugada é uma boa ideia, sobretudo pelo fato de que há menos tráfego nos sites. E, caso alguma promoção esteja programada para entrar naquele dia, você tem chance de ser um dos primeiros a saber”, conta Guilherme.

9. Cadastre seu e-mail

Entre nos sites das companhias aéreas e assine os boletins. Segundo Guilherme, seguir as páginas das empresas nas redes socias também pode ser uma boa fonte de promoções.

Fabrício explica que, atualmente, os preços são muito parecidos. “O que difere são as ofertas. Por isso, é importante estar cadastrado em pelo menos cinco sites diferentes para ter uma noção e acabar fazendo um bom negócio”, diz.

10. Crie alertas de preços

Os buscadores oferecem opções para monitorar os preços das passagens e enviar notificações, caso haja alteração nos valores. É possível ser alertado por e-mail ou por celular.

11. Compare voos em diversos aeroportos

“Pesquisar em todos os aeroportos dos destinos, caso haja mais de um, também é uma boa ideia”, afirma Guilherme. Os preços para quem desembarca em Guarulhos ou Congonhas, por exemplo, podem variar.

12. Escolha o dia para reservar 

“Terça-feira é um dia que costuma ser bom para pesquisar e reservar passagens. Muitas companhias soltam promoções na noite de segunda-feira; no dia seguinte, todos os outros vão tentar se equiparar”, diz Guilherme.

13. Verifique voos com escalas

Para os que têm tempo e disponibilidade, optar por um voo com escalas também pode reduzir o preço da passagem. E, quem sabe, ser uma oportunidade de conhecer um novo destino.

14. Fuja de custos extras

Esteja certo dos dias de embarque e desembarque. Alterações nas datas podem gerar taxas extras nas passagens.

Outro custo extra bastante comum é o excesso de bagagem. Por isso, antes de comprar, veja qual é a franquia da companhia aérea para a mala de mão e a que será despachada para ficar dentro do permitido.

“Em 2018, vimos as companhias mudando bastante o modelo de vendas de passagens aéreas. Isto é, trocando o modelo de venda absoluta – que era basicamente adquirir o tíquete – para um modelo de vendas de serviços a bordo”, relata Fabrício.

E completa: “Atualmente, você escolhe se quer preferência no assento, no check-in, se deseja levar mais de uma bagagem... Tudo isso está se tornando serviços pagos ao melhor modelo ‘pay per use’. A dica é: viaje com menos serviços possíveis, se importe somente com a tarifa!”.

15. Investigue o programa de milhas

Pesquise sobre todos os programas para saber quais são as condições que cada um oferece. Guilherme recomenda optar por apenas um, “caso contrário ficará com uma porção de milhas separadas e não conseguirá trocar pela passagem aérea”.

“Mas, lembre-se: as milhas do cartão de crédito estão relacionadas ao quanto você gasta. Portanto, cuidado. As taxas de cartão de crédito no Brasil são as mais altas do mundo”, finaliza Fabrício.

Leia também

Saiba quais são os melhores lugares para viajar no Brasil, mês a mês

Cresce procura por intercâmbio sênior

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu email. Inscreva-se: