Eleita pela crítica a melhor peça de teatro de 2015, Um Bonde Chamado Desejo, drama de Tennessee Willians (1911-1983) que tem como protagonista Maria Luisa Mendonça, reestreia em São Paulo.

Na trama, ela é a falida e delirante Blanche Dubois, obrigada a morar na casa da irmã, Stella (Virgínia Buckowski), onde trava uma tensa batalha como cunhado, Stanley Kowalski (Eduardo Moscovis).

Em 1947, Jessica Tandy e Marlon Brando viveram os papéis na Broadway, num texto que ganhou notoriedade mundial quatro anos depois, quando Elia Kazan dirigiu a adaptação cinematográfica interpretada por Brando e Vivian Leigh.

Na tensão entre a carnalidade bestial de Stanley e o espírito etéreo de Blanche, ergue-se uma das mais pungentes e belas metáforas produzidas pelo teatro sobre o duelo entre o sonho e a realidade, entre a alma e o corpo.

Pelo trabalho, Maria Luisa levou o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) e é a grande favorita ao Shell de melhor atriz. No elenco estão ainda Donizeti Mazonas, Fabricio Licursi, Fernanda Castello Branco e Matheus Martins.

“Eu não montaria essa peça, que não é encenada há 12 anos, se não fosse para injetar algum sangue – o nosso sangue – neste texto tão bonito, tão preciso, tão dilacerante e tão vital”, resumiu o diretor, Rafael Gomes.

Um Bonde Chamado Desejo

Onde: Tucarena, à rua Monte Alegre, 1.024, Perdizes, São Paulo, SP, tels. (11) 3670-8455/8454

Quando: sextas, 21h30, sábados, 21h, e domingos, 18h

Quanto: R$ 50 (sextas) e R$ 70 (sábados e domingos)

Duração: 110 minutos

Classificação: 14 anos

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu email. Inscreva-se: