Na minha época

VIVA O CARNAVAL!

Ouvi dizer que o carnaval é tão antigo quanto a civilização. Nas fontes do saber, democratizadas pela internet, fiquei a par de que os romanos patentearam essa festa pagã, dando-lhe o título de “Saturnal”, quando celebravam a colheita. Para quem não sabe, Saturno é, ou foi, o deus romano a quem cabia abençoar a plebe com a fartura das safras de grãos. Ceres, deusa da agricultura, era mais recatada, preferia ficar fora da farra. Hoje -quem diria? -, a entidade maior do pessoal do campo é o serviço nacional de meteorologia, que diz com precisão científica quando vai chover ou vai fazer sol. Nossos camponeses desprezam o tempo para cultuar o clima.

Os romanos faziam um carnaval parecido com o atual. Liberavam o povo das leis mais reles; soltavam provisoriamente os escravos; patrocinavam baladas com muita bebida, mulheres e meninos bonitos. Tinham até carros alegóricos, chamados de “carrusnavalis”, já que o formato era semelhante ao de navios. Provavelmente, essa é a origem do nome da esbórnia. Assessorado por Baco, deus do vinho e do prazer, e por Vênus, deusa do amor e da beleza, Saturno botava pra quebrar: ninguém era de ninguém!

OSWALDO MIRANDA, 67 anos, publicitário membro da Associação Brasileira de Marketing, é escritor, pesquisador da história brasileira dos séculos XIX e XX e autor do livro sobre a precursora da previdência no Brasil ‘Mongeral Aegon 180 anos de história’. Consultor de comunicação, atua na Comissão Permanente da Memória da Mongeral Aegon Seguros e Previdência.