O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira (4), que o Congresso receberá a proposta de reforma da Previdência de maneira "fatiada". O estabelecimento de idade mínima para aposentadoria, respeitando uma diferença de tempo entre homens e mulheres, deverá ser o item inicial das negociações. Dessa forma, o presidente eleito espera facilitar a aprovação do texto.

Bolsonaro destacou que a ideia é pegar parte da proposta enviada por Temer ao Congresso e ajustá-la ao seu texto. Um dos pontos seria o aumento de dois anos na idade mínima de aposentadoria, tanto para homens quanto para mulheres.


Clique aqui e faça o teste para descobrir como está o seu planejamento para a aposentadoria. É grátis!


Sobre as especulações de que a proposta teria perdido força, o presidente eleito respondeu que pretende encaminhar ao Congresso uma Proposta de Emenda Constitucional sobre o tema, iniciando a reforma pela previdência pública.

"A Previdência é uma realidade, ela cresce ano após ano e não podemos deixar o Brasil chegar à situação que chegou a Grécia para tomar providência", alertou Bolsonaro.


A reforma da Previdência

Proposta pelo futuro ministro da Fazenda, o economista Paulo Guedes, a reforma da Previdência é dividida em três eixos, sendo eles assistência social, capitalização e repartição num formato ajustado.

Em entrevista concedida no dia 28 de outubro, logo após a confirmação do nome de Jair Bolsonaro como próximo presidente da República, Paulo Guedes comentou que dois caminhos poderiam ser adotados: enviar ao Congresso um pacote com pequenas mudanças no sistema atual para acalmar o mercado ou encaminhar uma proposta mais profunda, já prevendo a adoção do sistema de capitalização.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu email. Inscreva-se: