“Me sinto tão sozinha, mesmo casada”

Essas cenas são mais comuns do que se imagina: antes, o companheiro era a melhor companhia para conhecer novos lugares, ir a jantares com amigos, ajudar a arrumar a casa assistir a um filme no cinema; depois, com o tempo, parece que os únicos interesses dele são redes sociais e futebol na TV.

A “síndrome do sofá” – em que o móvel parece ser o único atrativo nos momentos vagos – não ataca somente os homens. Mas são as mulheres que expõem a situação com mais frequência do que eles – ainda que seja anonimamente em fóruns de discussão na internet.

Por

Redação