Comportamento

Manual do hóspede: como ser sempre bem-vindo na casa dos outros

Visitar pais, filhos, avós, genros, noras, netos é sempre uma delícia, mas vamos combinar que a rotina dos anfitriões muda bastante com a chegada dos convidados, não é mesmo? Por isso, se você vai ficar uns dias na casa de algum parente, é sua obrigação seguir uma espécie de manual do hóspede, com o objetivo de incomodar o mínimo possível.

E não falamos isso só pelo tanto que a vida de quem recebe a visita é afetada. Como observa Claudia Matarazzo Mieli, jornalista brasileira especialista em etiqueta e comportamento, aceitar o convite para se instalar na moradia de alguém requer uma análise antes do "aceito", já que a liberdade não será a mesma encontrada em hotéis ou na sua residência. "A privacidade também pode estar comprometida", pondera.

Mas se a decisão for ficar na casa de alguém, é preciso fazer de tudo para não ser inconveniente. Como? Mieli apresenta um manual do hóspede, com algumas regrinhas que são muito bem-vindas.

  1. Avise o dia e a hora de chegada e, principalmente, quando pretende sair de lá. Como a estada muda a rotina da casa e pode, inclusive, afetar compromissos, os anfitriões precisam programar os dias e atividades antes, durante e depois da sua permanência.
  2. Pergunte o que precisa levar, entre roupas de cama e banho e até mesmo comida, para evitar constrangimentos. Lembre-se de que roupas extras nem sempre fazem parte do acervo do dono da casa. Além disso, a alimentação dos moradores pode não estar adaptada a você, caso tenha restrições. Saiba previamente o que precisa levar e ajude no preparo das refeições, o que será um bom momento de interação entre todos. E carregue sempre seus itens de higiene pessoal.
  3. Como forma de agradecimento prévio, é sempre bom levar alguma lembrança para o anfitrião. Pode ser um presentinho pessoal, um prato de comida preparado por você, flores...
  4. Não são os anfitriões que se adaptam à rotina das visitas, mas o contrário. Entenda como é o fluxo da casa e se ajuste a ele, desde horário para acordar e formas de alimentação até regras de limpeza e tudo o que é mantido no dia a dia. Por mais que os donos façam concessões nestas ocasiões, é de bom tom ajudar a manter os hábitos deles.
  5. Ajude com a limpeza e a arrumação dos ambientes, sobretudo nos espaços ocupados por você – a cama deve estar sempre arrumada e nada de espalhar seus itens pela casa, hein? Ofereça auxílio, seja para preparar a comida e lavar a louça, seja para executar outros afazeres do dia a dia.

    Quer descobrir como está seu planejamento para a aposentadoria? Clique aqui para fazer o teste gratuito do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon.


  1. Se estiver acompanhado por crianças, alerte-as previamente sobre o que pode ou não fazer na casa do anfitrião. Se apenas adultos residirem na casa, a presença de menores altera significativamente a rotina. Tente evitar bagunça, barulhos em excesso e garanta respeito em qualquer circunstância.
  2. Mesmo que a pessoa que vai te receber for alguém próximo, você não sabe a quantas andam as questões econômicas dela ou da família. Sendo assim, siga o manual do hóspede e pague todos os custos que envolvam sua estada – pernoite do carro no estacionamento, por exemplo. Também é recomendado que você arque com as despesas suas e dos anfitriões nos passeios que façam juntos.
  3. Tenha em mente que a convivência pode gerar atritos. Regra geral: seja sempre cordial, gentil e bem-humorado. Evite ao máximo as reclamações e o mau humor, o que pode gerar um ambiente pesado e constrangedor para todos.
  4. Agradeça sempre a hospitalidade (sim, tem gente que esquece!) e mantenha sua casa à disposição também.
  5. Decore algumas regrinhas de ouro de um manual do hóspede: quebrou? Conserte. Bagunçou? Arrume. Consumiu? Pague. Errou? Desculpe-se. Sujou? Limpe. E pratique a gentileza, sempre!

Leia também:

Conheça os 10 objetos que seus filhos não querem de herança

8 frases que você não deve falar para os netos

Por

Redação