Nascida na República Popular da Ucrânia em 10 de dezembro de 1920 com o nome de Chaya Pinkhasovna Lispector, chegou ao Brasil aos 2 anos de idade, onde mudou de nome para Clarice Lispector. Passou um breve período em Maceió, até se mudar para o Recife, onde viveu até os 14 anos. Já sem a mãe desde os 8 anos de idade, Clarice decidiu tentar a vida no Rio de Janeiro acompanhada do pai e das irmãs.

Formou-se em direito na antiga Universidade do Brasil, atualmente Universidade Federal do Rio de Janeiro, embora demonstrasse bastante interesse pelo meio literário. Trabalhou como tradutora, o que lhe abriu as portas para uma bem-sucedida carreira como escritora, jornalista, contista e ensaísta.

Clarice Lispector se tornou uma das figuras mais influentes do movimento Modernista na literatura brasileira, considerada pela crítica especializada como uma das principais autoras brasileiras do século XX.

Se viva, Clarice Lispector completaria hoje 98 anos de idade. Veja abaixo algumas frases marcantes da autora.


9 pensamentos de Clarice Lispector


“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro”


“Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento”


“Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite”


“Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada”


“Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca”


“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”


“Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil”


“Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar”


“Enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta continuarei a escrever”


Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: