A equipe de uma instituição de longa permanência na Grã-Bretanha fez a pergunta: “O que vocês gostariam de ganhar?”. As moradoras, todas com 65 anos ou mais de idade, não titubearam. “Homens”, disseram. Receberam um jantar, com direito à presença de suas famílias, servido por garçons seminus.

Os 23 convidados, dos quais 11 eram moradores da Milton Lodge Retirement Home, na cidade de Colchester, no leste da Inglaterra, receberam uma refeição com três pratos. Todas servidas por homens musculosos vestidos apenas com um pequeno avental vermelho, uma gravata borboleta e dois punhos de camisa – e mais nada.

A ideia surgiu de uma das moradoras, Joan Corp, de 89 anos, segundo entrevista da coordenadora Claire Martin ao jornal britânico “Mirror”. “Sempre que você pergunta a Joan o que ela quer para o dia, ela sempre diz: ‘Um homem’.”

Por isso, completa Claire, ninguém ficou, de fato, surpreso quando a residente declarou sua vontade. Conversaram entre si e todos, segundo a coordenadora, estavam dispostos a dar seu apoio para realizar o pedido.

Clique aqui e conheça os cursos gratuitos de requalificação oferecidos pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon.

Para a terapeuta ocupacional Marília Vieira Sanches, especialista em gerontologia, há um mito, no envelhecimento, de que o idoso fica frágil e precisa ser protegido de qualquer coisa. “Esse pode ser um desejo genuíno, inclusive porque eles foram perguntados sobre o que queriam”, avalia.

No Brasil, diz ela, ainda há ideias preconceituosas em relação ao papel de instituições de longa permanência. “Muitos só vivem nesses locais porque precisam de moradia, não porque estão acamados”, afirma. E completa: “Não é porque está morando num residencial que não pode ter esse tipo de desejo”.

A busca por garçons seminus

Para tornar o sonho das moradoras realidade, a equipe fez uma busca online para encontrar o serviço. Até que chegaram à empresa Hunks in Trunks.

Contrataram a companhia e, assim que o time de garçons chegou, os funcionários da instituição explicaram o que gostariam que fizessem. A missão era servir não só as residentes, mas suas filhas e suas netas, em um jantar épico.

garçons seminus

Dito e feito: carne assada e vegetais, numa refeição típica inglesa, acompanhados de taças de vinho embalaram a noite festiva. Garçons seminus com braços torneados deixavam os pratos sobre a mesa e, carinhosamente, tocavam ombros e braços das convidadas.

“As senhoras estavam realmente animadas, todas davam risadinhas e se vestiram elegantemente”, disse Claire. “Elas não pararam de rir a noite toda. Absolutamente, amaram.”

O jantar fez tanto sucesso que a mais velha das residentes, Doll Jenkings, de 99 anos, já se antecipou. Quer que os garçons seminus voltem à casa de repouso para seu aniversário de 100 anos.

A proposta de realizar desejos de moradores é da equipe da Milton Lodge Retirement Home. Os funcionários arrecadam dinheiro para dar a eles momentos especiais.

Marília diz que iniciativas como a de contratar garçons seminus, que incluem novas experiências demandadas pelos moradores e a participação da família, são positivas. “Mas tem que ser tratado com muita sensibilidade, caso a caso”, diz ela, sobre replicar a ação da instituição inglesa.

Leia mais

Projeto retrata o envelhecimento de pessoas trans


Avós da Praça de Maio buscam recuperar netos roubados na ditadura

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu email. Inscreva-se: