A polícia australiana prendeu no último domingo (10) a mulher suspeita de ter colocado agulhas em morangos no início deste ano. Trata-se de My Ut Trinh, de 50 anos, que trabalhou como supervisora da fazenda Berrylicious and Berry Obsession, em Wamuran, no norte de Brisbane.

Promotores disseram nesta segunda-feira (12), em um tribunal em Brisbane, que a suspeita teria agido por vingança após se sentir maltratada pelos colegas de trabalho. Ao menos 100 casos de alfinetes ou agulhas em morangos foram notificados na Austrália e na vizinha Nova Zelândia e um homem chegou a ser hospitalizado.


Clique aqui e saiba como ter descontos em medicamentos


O caso gerou uma grave crise na indústria de morangos do país. Milhares de embalagens do produto foram retiradas dos supermercados em toda a Austrália e o governo chegou a recomendar que a população cortasse os morangos antes de consumi-los, como forma de evitar novos acidentes.

My Ut Trinh foi indiciada por sete acusações por "contaminação de produtos, com a circunstância de agravamento". Os advogados da suspeita entraram com um pedido de liberdade condicional que foi negado pelo tribunal de Brisbane. Ela permanecerá sob custódia até a próxima audiência, que deverá ocorrer no dia 22 de novembro. Se condenada, My Ut Trinh pode pegar até 10 anos de prisão.

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: