Neste ano, o sambista Martinho da Vila, 80 anos, e a esposa, Cléo Ferreira, 46 anos, tiraram do armário o que vestiram há 25 anos. Subiram no palco do Teatro Clara Nunes, na zona sul do Rio, e, mais uma vez, disseram sim um para o outro. Em frente a uma plateia, comemoraram suas bodas de casamento, com as bênçãos de um pastor e um padre.

Em 2017, foi a vez da rainha Elizabeth, da Inglaterra, e do príncipe Phillip celebrarem os 70 anos de união. Mais reservados, escolheram uma festa em família. A monarca deu a ele de presente, nas bodas de vinho, o título de Cavaleiro Grã-Cruz da Ordem Real Vitoriana.

Tanto cá quanto lá, seja realeza, seja plebeu, celebrar o aniversário de casamento é tradição. Significa recordar a união e a parceria. “Seja comemorando 1 ano ou 60 anos de casados, o importante é aproveitar os preparativos para relembrar a jornada, os momentos bons, as vitórias, e porque não, as dificuldades. Afinal, o que é celebrado não é simplesmente o passar dos anos, mas toda a história construída durante esse tempo pelo casal, a família formada, os amigos “, diz a assessora de eventos e cerimonialista Elaine Rogeri, da Elaine Eventos.

Ela afirma que as bodas iniciais – de 1, 5 ou 10 anos – são, em geral, comemoradas apenas pelo casal. “Um jantar romântico ou uma viagem são as escolhas mais comuns.” Já as de 25 anos em diante, são “sempre em família agregando amigos”. “Dependendo do estilo do casal, a confirmação dos votos religiosos é o ponto mais importante da comemoração.”

Além das bodas de prata e de ouro, é comum celebrar os 40 e os 60 anos de casados. “Hoje os casais mais jovens têm comemorado também as bodas de 1 ano e 5 anos”, conta Elaine.

Significados

Não é à toa que cada ano tem um significado. As bodas de prata e as de ouro são as mais conhecidas e remontam à Idade Média, na Alemanha, em que as esposas eram presenteadas pelos maridos após 25 e 50 anos de casados, com coroa de prata e ouro.


O Instituto de Longevidade oferece cursos de requalificação gratuitos para quem deseja se manter atualizado para o mercado de trabalho. Clique aqui e saiba mais.


Acredita-se que a simbologia dos demais anos – e, sim, há um material por aniversário de casamento – tenha surgido no período vitoriano, de meados do século 19 ao início do 20. Papel, algodão e couro dão início à lista, que conta com pinheiro, salgueiro e jequitibá.

Há um porquê na sequência. Ela vai do menos encorpado e mais maleável papel até o jequitibá, árvore forte, capaz de viver por milhares de anos. Confira, a seguir, os nomes das bodas de casamento ano a ano e o significado das mais comemoradas.

1º – papel: traduz a fragilidade dos primeiros 12 meses e a flexibilidade casal

2º – algodão

3º – couro ou trigo

4º – flores ou frutas

5º – madeira: resistente e serve como a base para a construção de bens duradouros

6º – açúcar

7º – latão ou lã

8º – barro ou papoula

9º – cerâmica ou vime

10º – estanho ou zinco: metais maleáveis, porém resistentes

15º – cristal

20º – porcelana

25º – prata: símbolo da força e da estabilidade no casamento

30º – pérola

35º – coral

40º – esmeralda: é considerada a pedra do amor incondicional

45º – rubi

50º – ouro: representa riqueza e fartura

55º – ametista

60º – diamante: durável, quase inquebrável, é também um material valioso

65º – platina

70º – vinho

80º – nogueira ou carvalho

90º – álamo

100º – jequitibá

Leia também:

8 frases que você não deve falar para os netos

Conheça os 10 objetos que seus filhos não querem de herança

Compartilhe com seus amigos

Receba os conteúdos do Instituto de Longevidade em seu e-mail. Inscreva-se: