Home > estilo de vida > Viagens têm poder transformador

Viagens têm poder transformador

Para a geração 50+, tanto um fim de semana quanto um cruzeiro internacional são fontes de alegria

Viagens
Protasov AN/Shutterstock0

A AARP é provedora deste conteúdo 

“Daqui a 20 anos, você ficará mais desapontado com as coisas que não fez do que com as que fez. Então jogue fora as amarras, navegue longe do porto seguro. Pegue ventos em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra.” Mark Twain 

O escritor Mark Twain escreveu que a viagem é “mortal para o preconceito, a intolerância e a mentalidade estreita”. Ele estava certo. Não há atividade mais transformadora do que viajar. 

A viagem oferece um sentido vital de perspectiva. Por exemplo, o Pé Global Attitudes Survey, que examina a opinião pública em dezenas de países todos os anos, tem consistentemente constatado que os indivíduos que viajam para os Estados Unidos contam com uma visão mais favorável do país do que quem não esteve no país. Isso é intuitivo, e o inverso também é verdadeiro – quando os americanos exploram, eles valorizam mais profundamente o mundo e seu papel nele. 

Não há um setor demográfico mais ativo em viagens do que o das pessoas com mais de 50 anos de idade. Os americanos mais velhos as colocam no topo de sua lista de aspirações pós-carreira. Se você perguntar a eles o que esperam ansiosamente, a resposta tende a ser o tempo e a liberdade de viajar.  

Seja como for, o amor por viajar cresce mais profundamente a cada ano. Na média, os americanos têm 12 dias de férias. Em contrapartida, os que estão da faixa dos 45 a 49 anos, fazem 3,6 viagens anuais – uma média de menos de cinco noites em cada uma. Esse cenário muda com a idade. Americanos no início dos 70 anos realizam quatro viagens anuais – e têm média de quase nove noites em cada uma. 

“Os ‘boomers’ estão reimaginando a viagem, e as viagens continuam a moldá-los à medida que amadurecem” 

Com os últimos “baby boomers” completando 50 anos, eles conduzem uma mudança fundamental na maneira como pensamos o conceito de viagem para “americanos mais velhos”. Phil Goodman, coautor de “Boomer Marketing Revolution”, descreveu os “boomers” como “adolescentes adultos”. Com 76 milhões de pessoas prestes a passar 50 anos de idade, os dias de passeios em pacotes turísticos ou de grupos que se movem lentamente desaparece. Os “boomers” estão reimaginando a viagem, e as viagens continuam a moldá-los à medida que amadurecem. 

Existem algumas diferenças-chave entre “adolescentes adultos” de hoje e as gerações anteriores veem as viagens. Entre elas: 

Os “boomers exigem controle sobre viagens 

Diferentemente de seus pais, mesmo os “boomers” mais velhos faziam parte da força de trabalho quando a internet se tornou parte do dia a dia. Eles estavam lá quando a Expedia foi criada – pouco mais de 15 anos atrás. Quando os “boomers” estavam começando suas famílias, decisões de viagem eram difíceis de fazer com independência – os outros tinham os detalhes.  

A Expedia deu aos viajantes o poder de construir suas próprias férias. Coletamos muitos dos diferentes componentes de viagem – mais de 300 companhias aéreas, 160 mil hotéis, 7.500 atividades no destino e dezenas de fornecedores de aluguel de carros –, oferecendo aos consumidores informações, disponibilidade e preços que anteriormente estavam acessíveis apenas para agentes de viagens, de modo que eles poderiam misturar e combinar para criar sua própria viagem perfeita, em seu orçamento e em seu tempo. 

Os “boomers” agora estão empoderados – têm essa oportunidade no momento que mais desejam. Isso talvez seja mais visível na evolução da indústria de cruzeiros, que agora oferece flexibilidade, escolha e controle incomparáveis. 

Boomers” quer viajar para ser social 

Ao longo de sua idade adulta, os “boomers” não ficaram em suas cidades natal como seus pais podem ter ficado. Eles partiram para a faculdade, se mudaram por causa de emprego e muitos, agora aposentados, estão vivendo mais perto da família ou de seu lazer predileto. O resultado é que a viagem é inerentemente uma experiência social mais para eles do que para a geração anterior.  

Não perca nenhuma matéria. Cadastre-se e receba em seu e-mail.

Eles são mais propensos a fazer viagens para visitar um conjunto mais diversificado de amigos. Ou a fazer viagens multigeracionais para destinos turísticos como o Havaí ou um cruzeiro com toda a família. E eles agora podem compartilhar seus comentários com o mundo, através de avaliações online.  

A Expedia recebe centenas de milhares de comentários qualificados de viagem todos os anos, muitos de viajantes mais velhos. As ideias coletivas são extremamente úteis para os futuros turistas, e de vital importância para hotéis, destinos e outros. A internet e as críticas sociais funcionam no modelo “boca a boca” – boas empresas vão crescer, e o mau serviço será penalizado, como deveria ser. 

Os bôeres viajam com tecnologia à mão 

Muitos “bôeres têm menos tempo que seus pais e estão trabalhando mais do que planejaram. Resultado: a viagem acontece quando eles podem “planejar espontaneamente”. Isso significa que a tecnologia é crítica. Com quase um terço dos viajantes no fim dos 50 anos e início dos 60 carregando smartphones, as escapadas de última hora são mais populares do que nunca. A indústria de viagens desenvolveu aplicativos inteligentes e intuitivos que estão repletos de atividades para desfrutar ao viajar e permitir que os “boomers” reservem facilmente de última hora. Estamos literalmente trazendo o mundo ao seu alcance. 

À parte de mudanças táticas em como eles viajam, os “boomers” foram moldados, no íntimo, por viagens. Eles têm uma abordagem diferente de filosofia de viagem. Enquanto seus pais podem ter ido pela primeira vez à Europa para comemorar a aposentadoria, muitos “boomers” visitaram pela primeira vez a Europa, a América do Sul ou a Ásia quando eram estudantes. Os “boomers” são exploradores.  

Na verdade, os membros da AARP são um dos maiores segmentos da população dos EUA com passaportes. Embora apenas 22% da população dos EUA tenha um passaporte válido, esse número sobe para 60% entre os membros da AARP. 

As pessoas de 20 e 30 anos tendem a estabelecer uma distinção entre viagens diárias – nova-iorquinos dirigindo para Boston para visitar seus filhos na faculdade, por exemplo – e viagens aspiracionais: a viagem de sonho para Paris ou as caminhadas com a família nas Ilhas Galápagos. Na Expedia, sabemos que muitas vezes há poucas diferenças entre esses tipos de viagem. Eles geralmente envolvem os mesmos passos: pesquisar um hotel, reservar um voo ou um carro, programar atividades, fazer a mala. Os cenários diferem, mas o processo não. 

“Para os americanos maduros, viagem é viagem – e ponto final”  

Os “boomers” entendem isso melhor do que a maioria. Eles não desenham uma linha tão tênue entre viagens aspiracionais e as demais. Para eles, a alegria de uma viagem, seja para Dublin ou para Dubuque, no Estado de Iowa, é a mesma. Para os americanos maduros, viagem é viagem – e ponto final.  

As viagens rápidas, os encontros familiares, as brincadeiras com os netos, os tours pelas vinícolas, os cruzeiros e as excursões mais robustas ao exterior fazem parte da mesma categoria e têm o poder de transformá-los, hoje, da mesma forma que os transformam desde os 20 anos. 

Nós não poderíamos concordar mais. Na missão da Expedia, acreditamos que cada viagem é única e pessoal e tem o poder de se transformar. Construímos uma marca inteira em torno da noção de que ela muda os indivíduos para melhor. Recentemente, lançamos uma campanha denominada “Find Yours”, que ilustra as inúmeras formas de transformação de viagens de forma sutil e significativa.  

Criamos uma série de vídeos comemorativos. Uma mulher viajou para o México durante o ensino médio e foi inspirada a levantar fundos, construir casas e dirigir suprimentos médicos para regiões pobres e desatendidas. Um casal, infeliz em seu casamento, voltou para a Tailândia e se apaixonou novamente. Seu relacionamento prospera até hoje. Um pai vem entender a decisão de sua filha de se casar com outra mulher quando ele viaja para o casamento e vê como elas estão apaixonadas. 

Os vídeos não apresentam atores; as viagens são reais. Viajar nos une, transforma diariamente em todo o mundo. Nós revelamos essas histórias não necessariamente para defender uma ou outra crença, mas para mostrar como podemos mudar, crescer e aprender em qualquer idade. 

Então, meu conselho para vocês, “boomers”, aposentados americanos, viajantes maduros, é se encontrar. Explore. Sonhe. Descubra. Você tem a liberdade e o conhecimento para tornar esta próxima etapa de sua vida a mais vívida e memorável. O mundo está esperando por você, e estamos orgulhosos em ajudar a encontrá-lo. 

Dara Khosrowshahi é presidente da Expedia, que, sob seu comando, se tornou a maior agência online de viagens do mundo. É diretor no conselho da TripAdvisor desde 2011. 

Clique aqui e leia o artigo original. 

Copyright © 1995-2017, AARP. Todos os direitos reservados. 

Conheça nossos serviços gratuitos de requalificação profissional e aproveite.

Aproveitar agora

Leia Também